Wearables, Growth 2.0 e o futuro da moradia – ReStartSe 13/04

Tainá Freitas

Por Tainá Freitas

14 de abril de 2020 às 21:44 - Atualizado há 9 meses

Vem aí a melhor formação de líderes do Brasil

Logo Liderança Exponencial Aprenda as novas competências fundamentais para desenvolver uma liderança exponencial e desenvolva diferenciais competitivos para se tornar um profissional de destaque no mercado.

100% online, aulas ao vivo e gravadas

Próxima turma: De 22 a 25/Fev - 2021, das 19hs às 22hs

Inscreva-se agora
Logo Cyber Monday 2020

Só hoje, nossos melhores Cursos Executivos ou Programas Internacionais com até 50% off

Quero saber mais

No meio da pandemia devido ao novo coronavírus, a StartSe criou o #MovimentoReStartSe, um programa de capacitação 100% gratuito e online para auxiliar empresas e profissionais a lidarem e saírem melhores dessa crise. Quatro aulas ao vivo são ministradas por especialistas do Brasil, Vale do Silício ou China em nossas redes sociais diariamente, às 11h, 13h, 15h e 17h.

Confira o resumo das aulas desta segunda-feira (13):

Alexandre Frankel: desafiando o status quo

Junior Borneli, fundador da StartSe, recebeu Alexandre Frankel, CEO da Housi. Frankel discutiu o futuro da moradia – para ele, os apartamentos deixarão de serem bens e se tornarão serviços. Os locatários irão preferir alugar ao invés de comprar porque terão a necessidade de se mudar várias vezes ao longo da vida. A Housi passará a vender os apartamentos para investidores.

A eficiência e a praticidade chegarão inclusive no setor imobiliário. Por enquanto, o mercado ainda está se acostumando com essa ideia. Mas o próprio Frankel, também fundador da construtora Vitacon, criou a startup Housi após enxergar essa disrupção e passou a desafiar seu próprio modelo anterior.

Elton Miranda: as habilidades gerenciais exigidas pelo século XXI

Para Elton Miranda, cofundador da Contentools, os elementos necessários para ser um bom líder têm mudado com o passar dos anos. Ele participou da trilha de Maurício Benvenutti, sócio da StartSe. A primeira transformação é a escalabilidade – cada vez mais essa é uma preocupação para os gestores de um negócio. Em segundo lugar, as companhias devem ser cada vez mais “remote first”, possuindo também uma atuação e até mesmo passar a trabalhar remotamente.

A terceira responsabilidade de um líder é de criar um plano de ação para cada área da empresa. Ele deve saber para onde cada área está indo, enquanto o “como” passa a ser critério dos chefes das equipes. Para mensurar o resultado, é necessário ter um sistema de métricas, a exemplo dos OKRs.

Doutor Doc: wearables – o uso na medicina

Doutor Doc, fundador da startup Premium Life, ministrou uma aula sobre wearables com Felipe Lamounier, sócio da StartSe. Para o médico, os wearables, dispositivos como relógios inteligentes que medem dados de saúde, a exemplo dos batimentos cardíacos e sono, acabam com a concepção de que as pessoas precisam ficar doentes para começarem a ser monitoradas.

Com um custo cada vez menor, essas ferramentas digitais estão auxiliando que as pessoas e os médicos conheçam e reúnam cada vez mais dados de saúde. Dessa forma, problemas podem ser identificados com antecedência e o monitoramento pode ser realizado à distância, poupando tempo e custos em hospitais. A importância dos dados nesse setor é crescente: há quem acredite que as maiores empresas de saúde no futuro serão as de tecnologia – e essa mudança já começou após o Google adquirir o Fitbit, empresa de wearables, no ano passado.

Mauro Cavalletti e Max Petrucci: Growth 2.0

Pedro Englert, CEO da StartSe, recebeu os especialistas em marketing da Growth Camps, Mauro Cavaletti e Max Petrucci. Eles discutiram a “Teoria do U”, na qual a curva se inicia com a saturação de um mercado, passa por um declínio, construção de uma nova realidade e chega no apogeu. Eles acreditam que, no momento, nos encontramos no período de declínio e construção.

A expectativa é que as próximas empresas trilionárias serão as que resolverão problemas da humanidade. Com uma importância cada vez maior na sustentabilidade e economia consciente, esse será um divisor de água nas companhias que serão exponenciais ou não.