Volkswagen se une à Tesla para construir estações de recarga nos EUA

Isabella Carvalho

Por Isabella Carvalho

4 de fevereiro de 2019 às 16:04 - Atualizado há 2 anos

Vem aí a melhor formação de líderes do Brasil

Logo Liderança Exponencial Aprenda as novas competências fundamentais para desenvolver uma liderança exponencial e desenvolva diferenciais competitivos para se tornar um profissional de destaque no mercado.

100% online, aulas ao vivo e gravadas

Próxima turma: De 14 a 17/Dez, das 19hs às 22hs

Inscreva-se agora
Logo Cyber Monday 2020

Só hoje, nossos melhores Cursos Executivos ou Programas Internacionais com até 50% off

Quero saber mais

A Electrify America, subsidiária do Grupo Volkswagen que possui uma rede de carregamento de veículos elétricos, anunciou nesta segunda-feira (4) que planeja instalar Tesla Powerpacks em mais de 100 das suas estações de recarga. Os Powerpacks são os carregadores mais potentes da Tesla, capazes de abastecer um carro em poucos minutos. Eles serão instalados ao longo de 2019 e terão 350kWh de capacidade.

“Com nossos carregadores oferecendo altos níveis de energia, faz sentido usarmos baterias em nossas estações de maior demanda para que funcionem com mais eficiência nos períodos de pico. O sistema Powerpack da Tesla se encaixa naturalmente, dada sua experiência global em desenvolvimento de armazenamento de bateria e carregamento de EV [veículos elétricos]”, disse Giovanni Palazzo, diretor executivo da Electrify America.

Segundo a empresa, as estações de recarga estarão localizadas em 17 áreas metropolitanas e ao longo de corredores de tráfego intenso em 42 estados. Atualmente, 89 estações da Electrify America estão operando, mas a companhia já anunciou que planeja ter uma rede com quase 2 mil carregadores em 500 pontos de recarga nos Estados Unidos até o meio do ano.

Vendas de carros elétricos

A montadora já começou a vender carros elétricos em alguns países, como Reino Unido, com o modelo e-up!, e Estados Unidos, com a comercialização da versão elétrica do Golf. Em dezembro de 2018, durante uma conferência, Michael Jost, chefe de estratégia da montadora, disse que a empresa planeja parar de desenvolver os últimos carros a gasolina e diesel em 2026.