VW investe US$ 50 bi em carros elétricos e serviços digitais

Isabella Carvalho

Por Isabella Carvalho

14 de janeiro de 2019 às 16:55 - Atualizado há 2 anos

Vem aí a melhor formação de líderes do Brasil

Logo Liderança Exponencial Aprenda as novas competências fundamentais para desenvolver uma liderança exponencial e desenvolva diferenciais competitivos para se tornar um profissional de destaque no mercado.

100% online, aulas ao vivo e gravadas

Próxima turma: De 22 a 25/Fev - 2021, das 19hs às 22hs

Inscreva-se agora
Logo Cyber Monday 2020

Só hoje, nossos melhores Cursos Executivos ou Programas Internacionais com até 50% off

Quero saber mais

A Volkswagen anunciou, nesta segunda-feira (14), que planeja expandir sua fábrica em Chattanooga, nos Estados Unidos, para construir sua próxima geração de veículos elétricos. Segundo a companhia, a expansão será feita com um investimento de cerca de US$ 800 milhões e a criação de mil empregos.

A fábrica, que já tem cerca de 3.500 funcionários, se tornará o centro norte-americano de produção dos veículos totalmente elétricos da montadora.”Somos conhecidos como ‘o carro do povo’ por uma razão, e planejamos construir veículos elétricos para milhões, não para milionários”, disse Scott Keogh, diretor de operações da Volkswagen na América do Norte. 

O investimento na fábrica de Chattanooga é apenas uma parte de um plano ainda maior. No mundo todo, o Grupo Volkswagen já investiu quase US$ 50 bilhões para a construção de veículos elétricos e serviços digitais até 2023.

Nos Estados Unidos, a companhia pretende lançar sua primeira linha de elétricos em 2020. Entre os carros, provavelmente estará o ID Crozz SUV, capaz de atingir 180km/h de velocidade máxima com uma autonomia de até 500 km com uma carga completa de bateria.

Segundo a companhia, a meta é vender 150 mil carros elétricos até 2020 e 1 milhão até 2025. “Estados Unidos é um dos locais mais importantes para nós, e produzir carros elétricos em Chattanooga é uma parte fundamental da nossa estratégia de crescimento na América do Norte”, disse Herbert Diess, CEO do Grupo Volkswagen.