Tráfego urbano de ‘carros voadores’ já está nos planos da Embraer

João Ortega

Por João Ortega

4 de abril de 2019 às 11:25 - Atualizado há 2 anos

Vem aí a melhor formação de líderes do Brasil

Logo Liderança Exponencial Aprenda as novas competências fundamentais para desenvolver uma liderança exponencial e desenvolva diferenciais competitivos para se tornar um profissional de destaque no mercado.

100% online, aulas ao vivo e gravadas

Próxima turma: De 22 a 25/Fev - 2021, das 19hs às 22hs

Inscreva-se agora
Logo Cyber Monday 2020

Só hoje, nossos melhores Cursos Executivos ou Programas Internacionais com até 50% off

Quero saber mais

A Embraer, fabricante brasileira de aviões, quer estar na vanguarda de um novo tipo de transporte urbano. A companhia está desenvolvendo, em parceria com o Uber, o eVTOL, um carro voador semelhante a um drone tripulado. Se o projeto parece futurista, os planos da empresa indicam que ele está mais próximo do que se imagina.

Durante o evento de defesa e segurança LAAD, a Atech, subsidiária da Embraer, apresentou estudos para gestão do tráfego aéreo de carros voadores. Segundo apuração do Estadão, Marcos Resende, diretor de tecnologia da Atech prevê tráfego intenso no ar: “Já estamos nos preparando. Vamos ter aeronaves maiores, vamos ter helicópteros, drones, aviação geral. Vão ser muito setores que estarão voando nesse ambiente, que tem que ser gerenciado pelo trafego aéreo urbano”.

A Atech já tem ampla experiência em tráfego aéreo internacionalmente. A empresa oferece diversos produtos relacionados à segurança, gestão de voos, meteorologia, entre outros. Para Resende, desenvolver a gestão do tráfego aéreo prevendo a demanda é a melhor forma de ter segurança quando os carros aéreos iniciarem as operações.

“Já existem protótipos de aeronaves desse tipo voando no mundo, ainda sem certificação, mas ainda está longe do que imaginamos que possa ocorrer”, afirmou o executivo durante o evento que acontece nesta semana no Rio de Janeiro. A previsão de Resende é que o Embraer eVTOL e outros modelos de carros voadores façam parte da rotina de centros urbanos em cerca de 5 anos.