Como a Thomson Reuters está investindo em inovações jurídicas

Isabella Carvalho

Por Isabella Carvalho

23 de Maio de 2019 às 17:06 - Atualizado há 1 ano

Logo ReStartSe

Inscreva-se para o maior e mais audacioso evento de inovação, tecnologia e transformação digital já feito na América Latina. 30 dias que vão mudar sua visão de mundo, dos seus negócios e da sua carreira.

Online e totalmente gratuito - 01 a 30 de outubro/2020

O setor jurídico está se transformando. Para Nick Jarema, vice presidente da Thomson Reuters Ventures, o mercado chegou em um ponto de virada. “Esse salto não significa apenas adotar a tecnologia, mas representa uma mudança no comportamento e na forma como pensamos”, afirmou o executivo durante a LawTech Conference, promovida pela StartSe.

À frente do braço de capital de risco da Thomson Reuters, Nick acredita que tecnologias como inteligência artificial e blockchain se tornaram mais acessíveis, principalmente com o surgimento das startups. “Estamos vendo as leis se transformando em códigos que podem ser processados”, exemplificou.

Além disso, segundo Nick, os processos estão sendo simplificados, e o conceito de comunidades deverá crescer. “Imagine se os dados fossem mais descentralizados. Em um mundo onde um processo ou uma questão mais complicada chega para um escritório e ele pode ter acesso a uma rede com outros profissionais”, provocou o executivo.

Para se aproximar desse contexto, a Thomson Reuters está investindo em novas tecnologias e startups do setor. O objetivo é incentivar as mudanças no setor e transformar empresas em estágio inicial. “Estamos olhando o mercado todo. Consideramos qualquer inovação como um potencial”, afirmou Nick.

A companhia busca soluções que tragam novos insights e integração com produtos. No Brasil, por exemplo, lançou o Accelerator Day for LawTechs, programa de conexão com startups. O objetivo era encontrar empresas que pudessem agregar ainda mais eficiência ao Legal One, plataforma inteligente de gestão jurídica da Thomson Reuters que otimiza as operações de empresas do setor. Foram quatro startups aceleradas: BIP BOP, Legal Insights, Legal Labs e Juristec +.