Walmart e Amazon estão copiando as próprias estratégias

Tainá Freitas

Por Tainá Freitas

4 de dezembro de 2017 às 10:15 - Atualizado há 3 anos

Logo ReStartSe

Inscreva-se para o maior e mais audacioso evento de inovação, tecnologia e transformação digital já feito na América Latina. 30 dias que vão mudar sua visão de mundo, dos seus negócios e da sua carreira.

Online e totalmente gratuito - 01 a 30 de outubro/2020

As varejistas mais dominantes nos Estados Unidos são o Walmart e a Amazon. Cada uma é a melhor em sua especialidade: o Walmart domina o varejo físico, enquanto a Amazon é o maior e-commerce.

Atualmente, as estratégias das lojas estão parecidas, quando não iguais: em setembro desse ano, o Walmart anunciou que estava desenvolvendo um programa de delivery no qual os funcionários até guardavam os produtos na casa dos consumidores. Um mês depois, a Amazon anunciou a mesma novidade, através do Amazon Key.

Não sabemos quem teve e desenvolveu a ideia primeiro, mas as empresas lançaram o mesmo serviço, no mesmo momento.

Ainda neste ano, o Walmart anunciou frete grátis com entrega em dois dias para compras acima de US$ em sua loja online. Os clientes da Amazon possuem o mesmo benefício no Amazon Prime – a diferença é que o Walmart requer compra mínima, enquanto o cliente da Amazon precisa ser membro do clube de benefícios.

Walmart está criando uma parceria com a Lord & Taylor, para vender suas roupas online, enquanto a Amazon está se associando com a Nike para vender suas roupas em um preço mais competitivo.

E, enquanto a Amazon possui o Echo – que usa a assistente de voz Alexa para realizar tarefas -, o Walmart se uniu com o Google para tornar possível compras a partir do Google Assistente – a assistente de voz do Google. Clientes podem linkar a conta do Google e Walmart para disfrutar de ferramentas exclusivas na plataforma.

E, além dessas mudanças, podemos ver que cada varejista está ampliando sua atuação nos setores em que não são líderes. O Walmart está aumentando sua presença online com os programas de delivery – quem não quiser as compras guardadas na própria casa, pode comprar online e retirar os produtos na loja mais próxima.

E mesmo quem fez as compras online e não puder retirá-las, ainda poderá receber itens de supermercado no mesmo dia, entregues pela startup Deliv. Com esses serviços, o Walmart amplia ainda mais sua presença omnichannel, permitindo que clientes iniciem suas compras em um canal de vendas e finalizem em outro. A empresa cresceu 50% em receita no último ano e o responsável é o e-commerce.

Apesar disso, a Amazon continua líder no varejo online. No entanto, ela quer esse status até nas lojas físicas, onde está presente através do Whole Foods. A Amazon adquiriu a empresa de alimentos saudáveis neste ano e trouxe seus eletrônicos por preços mais baratos nas lojas físicas.

As empresas possuem suas diferenças, mas essas estão diminuindo cada dia mais – a Amazon e a Walmart estão apostando nas mesmas diretrizes para tornarem-se varejistas ainda maiores, trazendo até preços parecidos. A semelhança é irônica, visto que as empresas são concorrentes, mas elas estão aprendendo com a experiência uma da outra, criando soluções utilizando tecnologia para se destacarem. O CEO do Walmart.com estará presente e falará sobre o e-commerce da marca na maior conferência sobre tecnologia e varejo do país, que acontecerá amanhã, em São Paulo. Você pode adquirir seu ingresso com 20% de desconto aqui.

(Via Business Insider)

Participe do maior censo de startups do Brasil! Não deixe de entrar no grupo de discussão da StartSe no Facebook e de inscrever-se na nossa newsletter para receber o melhor de nosso conteúdo!

E caso você tenha em patrocinar os eventos da Startse, entre em contato no patrocinio@startse.com.

[php snippet=5]