Vendedores do Mercado Livre agora podem transformar seu dinheiro em bitcoin

Para utilizar a funcionalidade, que já está disponível na Argentina e no Brasil, os vendedores só precisam criar uma conta na Ripio e transferir o dinheiro

Avatar

Por Isabella Câmara

29 de agosto de 2018 às 16:38 - Atualizado há 1 ano

Graças à parceria que o Mercado Pago, a empresa de tecnologia de serviços de pagamentos do Mercado Livre, firmou com a Ripio, os vendedores do marketplace agora podem transformar seu saldo de compras e vendas em bitcoins. Apesar da criptomoeda ter despencado 60% em sete meses, de acordo com a Exame, o número de investidores só cresce e o Mercado Livre parece enxergar nessa medida uma nova oportunidade de movimentar esse mercado e oferecer um serviço diferenciado para os usuários do site.

Com a novidade, que já está disponível na Argentina e no Brasil, os vendedores poderão utilizar seu saldo no Mercado Pago  para comprar criptomoedas e armazená-las em um carteira digital na Ripio, criada a partir de um simples cadastro na plataforma. Após a validação da conta, que ocorre por meio de confirmações de identidade e senhas duplas, a pessoa já consegue comprar ou vender criptomoedas de uma forma simplificada.

Uma vez que as plataformas agora estão conectadas, é necessário possuir o mesmo usuário na Ripio e no Mercado Pago para que a transferência do valor disponível na plataforma de pagamentos em bitcoins seja feita sem nenhum problema. “A Ripio oferece aos usuários do Mercado Pago um acesso simples ao bitcoin, seja para ser utilizado como mais um ativo financeiro no portfólio de investimentos do usuário ou para que esse usuário possa fazer transferências rápidas de valor através da internet, em situações em que uma TED ou o uso de cartão de crédito não são possíveis”, explica Fernando Bresslau, Country Manager da Ripio no Brasil.

A carteira digital

Nascida na Argentina, a Ripio desenvolveu um sistema altamente seguro e fácil de usar para transações de bitcoins. De acordo com a própria startup, que foi criar há cinco anos, o objetivo da parceria com o Mercado Livre é democratizar o acesso a economia digital na América Latina. “Enxergamos no Brasil um mercado financeiro com grande potencial. Entre todas as modernidades que as fintechs têm apresentado, queremos ser os facilitadores do dia a dia do consumidor, com uma plataforma simples e segura de ser utilizada”, disse a empresa em um comunicado.

Apesar do Brasil ainda estar engatinhando no mercado de criptomoedas, os investimentos na mesma somam hoje no mundo um valor de mercado superior a US$ 300 bilhões, segundo estimativas do site CoinMarketCap. “Acreditamos que essa é uma revolução financeira que chegou para ficar. Apostamos no desenvolvimento e acreditamos que o Brasil pode alcançar outros países que já estão muito mais avançados nesse sentido”, diz Bresslau. Nesse contexto, a parceria com o Mercado Livre representa um passo importante para o mercado de pagamentos digitais no Brasil.

Em outros países, a Ripio já permite pagar contas de luz, água e fazer recargas de celular, além da funcionalidade de efetuar transferências em dinheiro de uma conta para outra – a expectativa é que esses serviços também cheguem ao Brasil em breve. “Assim como em outros países onde já temos operação, nosso objetivo é ser a carteira digital mais completa do mercado brasileiro. A Ripio quer trazer informação para a população brasileira para que, assim como os estrangeiros, eles também saibam a forma correta e segura de utilizar criptomoedas e ajudem esse mercado digital a se desenvolver e se tornar uma grande potência aqui”, explica.