Varejo online deve ultrapassar barreira dos US$ 100 bilhões até o final de 2017

Avatar

Por Lucas Bicudo

24 de novembro de 2017 às 12:29 - Atualizado há 3 anos

Logo Black Friday 2020

Nossos melhores Cursos Executivos ou Programas Internacionais com até 50% off

Quero saber mais

Vem aí a melhor formação de líderes do Brasil

Logo Liderança Exponencial Aprenda as novas competências fundamentais para desenvolver uma liderança exponencial e desenvolva diferenciais competitivos para se tornar um profissional de destaque no mercado.

100% online, aulas ao vivo e gravadas

Próxima turma: De 14 a 17/Dez, das 19hs às 22hs

Inscreva-se agora

O varejo está se transformando. Isso é fato. Justamente por isso, a StartSe está promovendo o RetailTech Conference, para discutir como as startups estão transformando o setor no Brasil e no mundo. É um evento de troca, onde os palestrantes compartilham suas experiências e os participantes interagem o tempo todo.

Como parte do relatório anual “Previsões para Festas de Fim de Ano”, a equipe da Adobe Digital Insights (ADI) analisou cinco previsões sobre os hábitos de compra online do consumidor nesta reta final de 2017.

Vendas online no fim de 2017 supera os US$ 100 bilhões

A ADI prevê que as vendas online para festas de fim de ano chegarão a US$ 107,4 bilhões, o que representa um aumento de 13,8% em relação ao mesmo período do ano passado. Apesar de o valor ultrapassar a barreira dos US$ 100 bilhões e manter o crescimento de dois dígitos, a alta na receita online durante a temporada de festas de fim de ano vem diminuindo desde 2015.

Na pesquisa feita pela Adobe, 31% dos compradores disse que planejam gastar mais online este ano do que no ano passado. “Ao mesmo tempo em que é uma oportunidade para os varejistas aproveitarem a época e venderem mais, também é um desafio para entrega de boas experiências de compra, tratando-se de grandes volumes de pedidos e clientes diferentes”, afirma Douglas Montalvao, diretor de Soluções e Customer Success da Adobe para a América Latina.

Consumidores buscarão promoções

O principal motivo pelo qual o fim de semana da Black Friday deve ter um aumento na receita online é porque os consumidores adoram promoções, de acordo com o ADI. Assim, os varejistas estão se preparando para atender a essa demanda: mais da metade (51%) disse que planeja oferecer promoções na Black Friday, e um terço (33%) planeja oferecer cupons online em telas pop-up ao acessar o site ou cupons para grandes descontos. Os compradores online tradicionalmente compram mais itens a preços mais baixos durante a temporada de festas de fim de ano. Na verdade, quatro das cinco categorias de produtos analisadas pelo ADI mostram um crescimento maior na quantidade do que na receita.

Grandes varejistas são os mais beneficiados

De acordo com a análise da Adobe, os grandes varejistas aumentaram suas receitas duas vezes mais rápido que outros varejistas no primeiro semestre de 2017. Como resultado, a ADI estima que os grandes varejistas serão os campeões da maioria das vendas online nesta temporada de festas de fim de ano. “Analisando os dados por dispositivos, notamos essa predominância das grandes empresas. Entretanto, é interessante observar aqui que os pequenos varejistas possuem a melhor taxa de conversão em dispositivos móveis do que as outras empresas. Uma leitura possível é que muitas dessas pequenas são varejistas novos que já nasceram digitais”, explica Douglas Montalvao.

Mais da metade das visitas online virão de dispositivos móveis

Apesar de as compras em computadores ainda representarem dois terços da receita anual, o celular geralmente é o ponto de partida para muitos compradores. O ADI estima que os consumidores vão acessar os sites varejistas mais por meio de seus dispositivos móveis do que pelos seus computadores nesta temporada de festas de fim de ano. A Adobe descobriu também que 64% dos compradores já têm um aplicativo de varejo instalado em seus dispositivos móveis, mas apenas 32% vão instalar um aplicativo especificamente para fazer compras na temporada de festas de fim de ano. “Os consumidores só instalam aplicativos que ofereçam realmente um diferencial com boas experiências mobile. Isso significa que os varejistas que apostarem suas ofertas nos aplicativos devem investir para gerar valor e aumentar os downloads no período de compras”, afirma o executivo da Adobe.

Nostalgia nas compras de brinquedos

Versões atualizadas de brinquedos antigos, como Nerf Guns, Teddy Ruxpin e Super Nintendo Classic, tiveram milhares de menções nas redes sociais (de 1 de agosto a 11 de outubro). A ADI estima que o videogame mais vendido da temporada será o Super Mario’s Odyssey, inspirado nos anos 80, quando a primeira iteração dos Super Mario Brothers (1983) foi lançada. O levantamento da Adobe aponta também que o Nintendo Switch animou o público nas redes sociais. Além dos videogames, o ADI descobriu que fones de ouvido, RV e assistentes de voz dominaram as menções de consumidores nas redes sociais com relação a aparelhos eletrônicos.

O estudo completo pode ser acessado aqui.

Participe do maior censo de startups do Brasil! Não deixe de entrar no grupo de discussão do StartSe no Facebook e de inscrever-se na nossa newsletter para receber o melhor de nosso conteúdo!

E caso você tenha interesse em anunciar aqui no StartSe, baixe nosso mídia kit.

[php snippet=5]