Tim Cook é melhor para a Apple do que Steve Jobs; veja motivos

Avatar

Por Júlia Miozzo

13 de outubro de 2015 às 09:48 - Atualizado há 5 anos

Logo ReStartSe

Inscreva-se para o maior e mais audacioso evento de inovação, tecnologia e transformação digital já feito na América Latina. 30 dias que vão mudar sua visão de mundo, dos seus negócios e da sua carreira.

Online e totalmente gratuito - 01 a 30 de outubro/2020

SÃO PAULO – Steve Jobs é, talvez só menos do que a própria maçã, o maior ícone da Apple – hoje a maior empresa do mundo. Cofundador e CEO até sua morte, ele é tido como o responsável por idealizar e criar os dispositivos de maior sucesso da empresa – e é reconhecido não só por isso, mas também por ser uma pessoa com características um tanto peculiares.

Após sua morte, Tim Cook o substituiu na posição de CEO e, desde então, muitas coisas na empresa mudaram. Muitas pessoas, inclusive, já acreditam no fato de que Cook é um CEO melhor do que Jobs, como é o caso do colunista do Market Watch Jeff Reeves.

Não sabe porque o novo presidente se dá melhor? Veja alguns motivos:

Cook se importa mais com os investidores
Em março deste ano, o grande investidor Jim Cramer recebeu uma ligação de Tim Cook lhe parabenizando pelos 10 anos de casamento. Não somente isso, em agosto o CEO também mandou um e-mail ao investidor para dar uma atualização trimestral, incluindo um relatório mostrando que as vendas na China estavam fortes.

Steve Jobs não daria tanta importância a esse tipo de comunicação voltada para o investidor – o que, hoje, é de extrema importância para uma empresa de capital aberta.

Cook se importa com os acionistas
Existe um histórico grande de dividendos e recompras das ações, incluindo mais de US$ 126 bilhões em capital retornado para os acionistas desde o final de 2012. Jobs era famoso por acumular caixa ao invés de distribuir porque queria reinvestir no crescimento da Apple.

Embora Jobs tenha visto a Apple quase ir à falência, a empresa encontrou conforto no caixa acumulado. Cook, por sua vez, prefere gastar o caixa – e isso tem seus riscos, mas é algo positivo para os acionistas.

Cook executa o que pensa
A principal razão pela qual Cook entrou para a equipe da Apple no final da década de 90 era para organizar o sistema de distribuição e manufatura. Mas, recentemente, suas habilidades de gerenciamento foram aplicadas em um teste tão difícil quanto no momento em que a empresa vê a venda de 50 milhões de iPhones, 11 milhões de iPads e 5 milhões de computadores Mac a cada trimestre – isso sem contar outros dispositivos da Apple.

Jobs foi o responsável por terá visão de criar esses dispositivos, mas fazer com que eles sejam entregues em todo o mundo a tempo não é uma tarefa fácil.

Cook é pragmático
Uma das melhores coisas que Cook fez pela Apple foi assumir maior parte da culpa e negociar o negócio objetivamente, algo em que Jobs nunca foi bom. O atual CEO já pediu desculpas por erros em software e trata, por exemplo, processos de patente contra empresas como a Samsung de maneira tranquila.

Cook é o futuro da Apple 2.0
É inegável que Jobs tenha presidido um período monumental para a Apple, mas algumas estratégias de Cook que, para Jobs, seriam como cometer um pecado, trouxeram bons resultados para a Apple – como lançar o iPad mini e demitir alguns dos executivos mais importantes e confiáveis da empresa.