Grandes mudanças: o Spotify está se tornando uma empresa de mídia

Tainá Freitas

Por Tainá Freitas

19 de janeiro de 2018 às 14:02 - Atualizado há 2 anos

Logo ReStartSe

GRATUITO, 100% ONLINE E AO VIVO

Inscreva-se para o Maior Programa de Capacitação GRATUITO para empresários, gestores, empreendedores e profissionais que desejam reduzir os impactos da Crise em 2020

O Spotify é o maior serviço de streaming de música do mundo. Mas o streaming pode estar se tornando algo mais – uma empresa de mídia e informações. O Spotify fez uma parceria com oito empresas, como BuzzFeed e Refinery 29, para a realização de um podcast de notícias próprio chamado Spotlight. Não é o primeiro podcast dentro do Spotify, mas demonstra o interesse da startup de se transformar em algo maior.

Um dos primeiros podcasts terá de 4 a 7 minutos, com notícias de jornalistas do BuzzFeed do mundo inteiro. A novidade estará inicialmente disponível nos Estados Unidos. Os novos programas deverão ser lançados em fevereiro, e o Spotify espera torná-los disponíveis em outros países em breve.

O Spotlight terá notícias de cultura pop, esportes e política. Será uma nova forma da empresa lucrar, já que, apesar de revolucionar a indústria da música, a empresa ganha muito pouco dinheiro. Os direitos autorais das músicas possuem um alto custo para o Spotify, mas com essa iniciativa a companhia pode entrar em um mercado de US$ 18 bilhões em propagandas em rádio por ano.

[php snippet=5]

Atualmente, o Spotify já possui um espaço para podcasts e vídeos, mas um podcast de notícias próprio aumentará ainda mais a competição com o YouTube e a Apple (que também possui um espaço para podcasts na Apple Music). “Eu sei que as pessoas estão vindo ao Spotify para ouvirem música, mas estamos começando a criar algo novo”, disse Courtney Holt, head de vídeo da empresa. “Eu quero criar um conteúdo que as pessoas possam ver e ouvir”.

Os próprios podcasts conterão conteúdo visual. O programa do BuzzFeed, por exemplo, será inicialmente apenas em áudio, mas infográficos e outros elementos visuais deverão ser inclusos em breve, de acordo com o Editor-Chefe Ben Smith.

Alguns dos programas serão versões dos que já estão disponíveis na plataforma, e irão conter, inicialmente, as mesmas propagandas. Outros podcasts não terão propagandas durante o período de testes. Os ouvintes poderão transitar entre os tópicos dos podcasts com facilidade, devido a maneira que eles serão exibidos, segundo o que afirmou Courtney Holt.

O Spotify surgiu trazendo um novo modelo de negócios, tornando popular o streaming em um momento onde os CDs não vendiam bem. Por uma mensalidade (ou de graça, mas com propagandas), os ouvintes escutam qualquer música ou podcast que desejarem, e os criadores do conteúdo recebem uma porcentagem de cada visualização (devido aos direitos autorais).

O fato da empresa estar mudando seus conceitos mostra como o mercado é volúvel. Mesmo sendo o streaming número 1, para se destacar entre os concorrentes, o Spotify está inovando.

Para saber como as novas tecnologias são uma aliada para os seus negócios – e saber quais são as tecnologias mais quentes da época -, participe do evento que preparamos pra você: 2018 – A Revolução da Nova Economia. Clique no site, confira a programação e vamos revolucionar o mundo!

(Via Bloomberg)