Moto G e E deixarão de existir, diz site chinês; empresa nega

Avatar

Por Júlia Miozzo

12 de janeiro de 2016 às 16:07 - Atualizado há 5 anos

Logo ReStartSe

Inscreva-se para o maior e mais audacioso evento de inovação, tecnologia e transformação digital já feito na América Latina. 30 dias que vão mudar sua visão de mundo, dos seus negócios e da sua carreira.

Online e totalmente gratuito - 01 a 30 de outubro/2020

Uma entrevista de um executivo chinês da Lenovo causou problemas: vice-presidente da empresa, Chen Xudong, supostamente teria revelado que a empresa vai deixar de fabricar os smartphones Moto G e Moto E, os dois smartphones mais vendidos no Brasil em 2014. A informação, do site chinês TechSina, porém, é inverídica.

A Motorola respondeu ao StartSe, afirmando que o comentário de Xudong não foi interpretado e que os dois celulares não deixarão de ser fabricados.

Além disso, todos os smartphones restantes da linha Moto passarão a ter sensor biométrico e tela de tamanho igual ou superior a 5 polegadas. Xudong também disse que o motivo é a fusão entre as marcas Motorola e Lenovo, já que a Lenovo possui a marca Vibe de smartphones populares. Por conta disso, ele também afirmou que o foco da marca “Moto by Lenovo” será em smartphones tops de linha.

A Motorola já foi uma das fabricantes de smartphone mais vendidas no mundo, mas perdeu espaço na última década para gigantes como a Samsung e Apple. A situação de sua nova dona não é diferente: o mercado de smartphones da Lenovo tem visto as vendas caírem cada vez mais, com concorrentes como a Xiaomi e a Huawei liderando as vendas.