Sistema de piloto automático da Tesla não deveria se chamar “piloto automático”

Avatar

Por Lucas Bicudo

15 de julho de 2016 às 11:31 - Atualizado há 4 anos

Logo ReStartSe

Inscreva-se para o maior e mais audacioso evento de inovação, tecnologia e transformação digital já feito na América Latina. 30 dias que vão mudar sua visão de mundo, dos seus negócios e da sua carreira.

Online e totalmente gratuito - 01 a 30 de outubro/2020

A Consumer Reports é uma influente revista voltada para a análise de produtos para consumidores. O que sai lá, pode crer que ganha peso de acordo com a crítica. A última review que foi veiculada não caiu muito bem para a Tesla, que recebeu comentários negativos sobre seu plano de expansão para a tecnologia de piloto automático depois do último acidente envolvendo o Model S.

A matéria veiculada nessa quinta (14) aponta que o marketing agressivo, associado com a implementação da tecnologia, que na opinião do site ainda precisa de mais testes, criou um ambiente inseguro para atingir as massas.

“Nossos analistas acreditam que a ideia de que ‘seu veículo é autônomo, mas você pode ter de assumir o controle em um piscar de olhos’ cria confusão e atrapalha os motoristas”, diz o veículo.

Muitas montadoras já estão introduzindo este tipo de tecnologia semi-autônoma em seus veículos, mas a Tesla tem sido excepcionalmente agressiva nessa implantação. É a única que permite que seus usuários dirijam sem tocar no volante por um período de tempo significativo, o que parece coisa de cinema. O acidente com o Model S evidenciou isso e trouxe todo mundo de volta para a realidade.

Em resposta, a companhia disse que está sim ainda desenvolvendo a tecnologia, mas que já se sentia completamente confortável com o processo.

“A Tesla está constantemente introduzindo melhorias, comprovadas ao longo de milhões de quilômetros percorridos em testes internos, que garantem que o motorista esteja mais seguro com o piloto automático do que sem. Nós continuaremos a desenvolver, validar e lançar essas melhorias conforme a tecnologia se desenvolve. Nós apreciamos conselhos bem-intencionados de um indivíduo ou grupo, mas tomamos nossas decisões baseadas em dados do mundo real, não especulação da mídia”, declara.

(via Business Insider)

Mensagem do Editor
Ei, tudo bom?
Gostaria de agradecer pela visita! Meu nome é Felipe Moreno, sou editor-chefe do StartSe e, como muito de vocês, dono de uma (minúscula) startup de mídia.
E vou te fazer um pequeno convite: vamos bater um papo! É só se cadastrar aqui embaixo e eu vou te enviar alguns e-mails para você com o melhor do nosso conteúdo para te ajudar, seja você um empreendedor, funcionário, investidor ou apenas interessado neste maravilhoso mundo!
É um caminho de comunicação direto que nenhum outro portal oferece para seus leitores. E a intenção é construir uma comunidade vibrante que esteja preparada para todos os enormes desafios que virão. Vamos construir conhecimento e conteúdo juntos! Conto muito com a presença de vocês neste papo!
[php snippet=5]