Saiba o que os líderes do mercado de construção têm a dizer do setor

Avatar

Por Isabella Câmara

5 de janeiro de 2018 às 16:34 - Atualizado há 3 anos

Logo Black Friday 2020

Nossos melhores Cursos Executivos ou Programas Internacionais com até 50% off

Quero saber mais

Vem aí a melhor formação de líderes do Brasil

Logo Liderança Exponencial Aprenda as novas competências fundamentais para desenvolver uma liderança exponencial e desenvolva diferenciais competitivos para se tornar um profissional de destaque no mercado.

100% online, aulas ao vivo e gravadas

Próxima turma: De 14 a 17/Dez, das 19hs às 22hs

Inscreva-se agora

Desde 2013, a indústria de construção contou com o investimento de US$ 1,08 bilhões em 207 negócios da área. Devido ao nível de desenvolvimento e ao surgimento de startups para enfrentar as dores da indústria, as discussões sobre o setor aumentaram e investidores começaram a prestar mais atenção na tecnologia da construção.

Participe do Construtech e fique por dentro das últimas tendências do setor de construção. Inscreva-se e garanta sua vaga!

Tracy Young, CEO e cofundadora da PlanGrid

De acordo com Tracy Young, CEO e cofundadora da PlanGrid, a principal dor do setor de construção é a falta de digitalização, especialmente quando comparado com outros setores da economia. Pensando nisso, foi criada a PlanGrid. “É um problema muito simples que estamos resolvendo. Nós estamos pegando todas as informações de construção, que são incrivelmente fragmentadas, e colocamos na nossa plataforma”, conta.

Além disso, de acordo com a especialista, o setor ainda investe pouco em software e computação. “Todas as indústrias já descobriram como usar o software e o poder da computação para serem mais eficazes. Agora quando você olha para a construção, estamos gastando menos de 1% da receita. Ao longo dos últimos 20 anos, todos descobriram como ser mais produtivo, enquanto isso a construção não só foi planificada, como também recusada”, defende Tracy.

Michael Marks, presidente e co-fundador da Katerra

Apesar desses problemas, o setor de construção também desenvolveu sua própria Tesla, uma das empresas mais inovadoras do mundo. Em uma entrevista a CNBC, o presidente e co-fundador da Katerra, Michael Marks, expôs a estratégia da empresa e observou que mesma fez para construção o que Tesla fez para a tecnologia automotiva.

Para ele, a estratégia de assumir todo o processo da cadeia de suprimentos de construção e aplicar novas tecnologias a eles, fez com que a Katerra reduzisse os custos e aumentasse a eficiência na cadeia de valor da construção. “A Tesla faz suas próprias baterias, seus próprios motores e até seus componentes. E é basicamente o que estamos fazendo, nós estamos totalmente integrados e trazemos algumas ferramentas de tecnologia que não são comuns para a indústria de construção”, conta.

Brendan Bechtel, presidente e CEO da Bechtel

Empresas tradicionais do setor também estão buscando engajamento com esse novo mundo da construção. A Bechtel, por exemplo, defende oportunidades de “investimento em infraestrutura inteligente” e oportunidades de parceria entre governos e inovação do setor privado.

Segundo Brendan Bechtel, presidente e CEO da Bechtel, fundir o setor de construção com a tecnologia da informação para produzir instalações inteligentes é uma das grandes tendências do futuro. “Essas instalações inteligentes poderão interagir com pessoas e máquinas. Essa nova abordagem infraestrutura produzirá sistemas integrados que detectam o meio ambiente, analisam dados e atuam autonomamente, para aumentar a eficiência e minimizar risco… O mundo que nos rodeia está passando da era da infraestrutura industrial para a era da infraestrutura inteligente”, defende ele.

Inscreva-se no Construtech Conference e fique por dentro das últimas tendências do setor de construção!

Via: CB Insights