Reguladores da China tentam, mas não conseguem derrubar Bitcoin

Da Redação

Por Da Redação

2 de outubro de 2017 às 09:18 - Atualizado há 3 anos

Logo ReStartSe

Inscreva-se para o maior e mais audacioso evento de inovação, tecnologia e transformação digital já feito na América Latina. 30 dias que vão mudar sua visão de mundo, dos seus negócios e da sua carreira.

Online e totalmente gratuito - 01 a 30 de outubro/2020

Vira e mexe algum cético vem destacar que o problema do Bitcoin é que um dia os reguladores tentarão matar a moeda. E, normalmente, quem acredita na moeda digital contra-argumenta dizendo que os reguladores não são capazes de acabar com a moeda.

E o caso chinês levanta um ponto bom a respeito: possivelmente, quem aposta na não-capacidade dos reguladores de acabar com a moeda está certo. Isso porquê os chineses proibiram ICOs (lançamentos de novas moedas) e ordenaram que as exchanges fechassem em breve. Contudo, o Bitcoin continua sendo altamente usado por lá – e o mercado de criptomoedas também permanece forte, com alguns ICOs sendo vendidos também.

E o mais impressionante disso é que é da China que estamos falando, o mesmo país que tem um grande firewall em sua internet (que supostamente seria um jeito de descobrir quem negocia bitcoins fora do país) justamente para impedir que as pessoas tenham contato com tecnologias e informações de fora.

Os reguladores chineses estão tendo problema para dissuadir os trades pois os usuários são anônimos e difíceis de rastrear – principalmente após muitos traders deixarem de usar o WeChat para começar a usar o Telegram. “Eu posso usar o mercado de balcão ou ir para fora do país. Minha carteira é só minha carteira, eu nunca registrei meu RG. O governo diz que está me protegendo, mas enquanto eu achar que isso é bom, eles não podem fazer nada”, disse um usuário anônimo ao VentureBeat.

O mercado de balcão é uma alternativa, multiplicando seu tamanho por dois desde que o governo começou a reclamar. Só o localbitcoins teve mais de 5.000 novos usuários vindos da China em pouquíssimo tempo, uma considerável alta no número.

Vamos falar do assunto em um evento em São Paulo, chamado de Bitcoin Conference, com os maiores especialistas do Brasil sobre o assunto. Confira!