Próxima gigante do Vale testa modelo que pode disruptar indústria gigantesca

Da Redação

Por Da Redação

8 de janeiro de 2018 às 11:29 - Atualizado há 3 anos

Vem aí a melhor formação de líderes do Brasil

Logo Liderança Exponencial Aprenda as novas competências fundamentais para desenvolver uma liderança exponencial e desenvolva diferenciais competitivos para se tornar um profissional de destaque no mercado.

100% online, aulas ao vivo e gravadas

Próxima turma: De 14 a 17/Dez, das 19hs às 22hs

Inscreva-se agora
Logo Black Friday 2020

Nossos melhores Cursos Executivos ou Programas Internacionais com até 50% off

Quero saber mais

No começo da história da energia elétrica, todas as cidades precisavam gerar suas próprias energias localmente. Como consequência, o mundo estava cheio de mini-usinas elétricas que eram capazes apenas de acender algumas luzes, não muito mais do que isso – um modelo muito difícil de escalar. Era um modelo que não poderia atender um milésimo das necessidades atuais.

Com o desenvolvimento da tecnologia de energia elétrica, criaram-se grandes usinas, capazes de produzir muito mais energia e linhas de transmissão capazes de mover essa energia de um ponto para outro. A criação disso permitiu o desenvolvimento de equipamentos que demandavam muito mais energia que antes. E a energia elétrica parou de competir com o vapor e virou uma coisas central em nossas vidas.

Uma nova tendência entre empresas de tecnologia pode fazer com o computador a mesma coisa que ocorreu com a energia elétrica. A computação em nuvem pode fazer com que seu computador seja muito mais poderoso sem que você tenha que ter uma máquina fortíssima. Na verdade, basta um comptador meia-boca, plugar na internet e pronto.

E para isso, a Nvidia, próxima gigante do Vale do Silício, está testando uma novidade neste sentido – e que pode ser uma força disruptiva em uma indústria enorme. Chama-se GeForce Now e é direcionado para quem deseja jogar games em altíssima definição em seus computadores não tão poderosos.

Por uma assinatura por mês (ainda não revelada, pois está em beta grátis), o usuário pode usar o poder de computação da própria Nvidia ao invés de usar o de sua própria máquina. Os supercomputadores na Nvidia processam o que está acontecendo e o vídeo é enviado para a tela do usuário como se tivesse acontecendo ali. Com uma conexão adequada de internet, não há nenhum delay.

Games são só a porta de entrada para este tipo de serviço: em breve a computação em nuvem vai ser tão onipresente que você só vai precisar de uma tela, monitor, mouse e uma conexão com a internet. E não mais precisará ficar comprando e vendendo notebooks e desktops usados, só assinando o serviço.

Pense no impacto disso para produtoras de hardware: serão todas atacadas por esta mudança de comportamento do usuário. A forma que trabalhamos, que as empresas compram equipamentos vai mudar completamente. Bilhões de dólares vão mudar de um, direto para o bolso da Nvidia e quem promover.

Isso também permite que seu celular se torne um computador de altíssimo poder também. Internet das Coisas e Realidade Virtual também se beneficiarão profundamente deste tipo de tecnologia. O futuro é brilhante e muito diferente  do que estamos acostumados atualmente. Quer entender como será o futuro? Participe do 2018 – A Revolução da Nova Economia, nosso evento imperdível em São Paulo a respeito de todas as mudanças que o mundo está passando.