Precisa de ajuda com as suas finanças? Conheça esses aplicativos

Conheça aplicativos com a proposta de organizar seu dinheiro para entender gastos e mudar seus hábitos para melhor

Avatar

Por Paula Zogbi

21 de outubro de 2015 às 12:41 - Atualizado há 4 anos

Está gastando demais? Precisa escolher melhor o destino do seu salário? Quer economizar para realizar um sonho? Ou nem sequer sabe para onde seu dinheiro está indo?

A tecnologia há muito tempo quer ajudar pessoas a lidar melhor com suas finanças e seus salários e, com a era dos smartphones e tablets, a oferta de aplicativos de gerenciamento de dinheiro decolou nos últimos tempos.

Eu testei, durante um mês, cinco opções desse tipo de aplicativo, e conto para vocês minha experiência com todos eles.

Antes de mais nada, gostaria de deixar bastante claro que não aconselho a ninguém usar quatro apps para cadastrar despesas ao mesmo tempo: eu passava praticamente mais tempo usando meu celular do que jantando nos restaurantes. Exageros à parte, dá para escolher um só tranquilamente.

Sem mais delongas, vamos aos apps:

1. Mobills (iOS e Android)

Esse app foi o que mais fez questão da minha atenção durante este tempo. Logo que me cadastrei, recebi um e-mail onde um consultor se apresentava pelo nome e explicava que gostaria de acompanhar minha jornada pelo aplicativo. Nele também havia um link para baixar um e-book explicativo sobre o app. Útil, objetivo, ótimo. Dentro do próprio aplicativo também existem dicas de uso, que podem ser consultadas quando o usuário quiser.

Além disso, todos os dias, invariavelmente, mais ou menos umas 20h, eu recebia uma notificação pedindo carinhosamente para eu não me esquecer de cadastrar meus gastos. Claro, sempre dá para desabilitar notificações, mas eu talvez estivesse precisando dessa cutucada mesmo. Deixei acontecer.

Os cadastros são separados em Contas (tudo o que tem nos seus saldos bancários), Receitas (onde o usuário cadastra o que receber), Despesas (gastos) e Cartão de Crédito (para você organizar suas faturas).

Tudo é cadastrado manualmente, e a interface é bastante simples e intuitiva, e as transações são divididas em categorias, como alimentação, lazer, moradia, transporte, etc. Depois, esses gastos entram em um gráfico colorido e didático para que você tenha uma ideia geral do que está consumindo mais do seu dinheiro. Essa parte é bastante parecida em todos os aplicativos testados.

No Mobills também é possível criar novas categorias; caso você tenha um animal de estimação, por exemplo, é só jogar lá “cão”, para ter certeza do que você gastou especificamente com seu melhor amigo nos últimos tempos – só não vale deixar o coitado sem ração.

2. Minhas Finanças (Android)

O Minhas finanças é visualmente bem parecido com o Mobills, mas um pouco mais simples em algumas funções. A opção de adicionar receitas, por exemplo, só está inclusa na versão paga.

Também é um pouquinho menos prático cadastrar os gastos, mas eles também acabam sendo mais completos: para cada despesa, você pode adicionar localização, se ela ainda está pendente e a data de vencimento – caso a despesa ainda não esteja paga. Só é “chato” precisar lembrar, sempre que passar algo em dinheiro ou débito, de salvar a despesa como paga. Mas nada muito complexo: é um toque, depois de um tempo pode ser que vire rotina.

O app mostra dados e comparações entre os gastos de cada semana. É interessante ver, por exemplo, que em uma sexta-feira você gastou quase o dobro da anterior por algum motivo. Na versão paga, as estatísticas comparativas são ainda mais completas.

Na minha opinião a maior vantagem do app com relação aos demais é saber exatamente quanto você ainda precisa pagar e quando essas contas vencerão. Isso é ótimo para a organização pessoal. Mas, claro, desde que tudo seja cadastrado corretamente.

3. Gastos Diários (Android)

Vou fazer uma confissão: achei esse aplicativo um tanto feio.

Gostos estéticos à parte, a versão gratuita do Gastos Diários possui apenas as funções básicas mas, dependendo do seu perfil, pode valer a pena gastar um pouco na versão “Licença”: R$11 no Google Play.

Nessa versão, é possível exportar suas despesas a uma planilha de excel, que depois pode ser enviada ao seu e-mail; projetar em quanto tempo uma meta pessoal pode ser atingida; acessar uma calculadora; além de algumas outras funções que existem nos outros apps já citados, como o gráfico de pizza e a possibilidade de gerenciar suas contas.

O app aceita programar operações: se você tem um gasto mensal, por exemplo, não vai precisar cadastrá-lo sempre. Dá até para adicionar a data em que ele deixará de ser um gasto mensal (ou repetir “infinitamente” mesmo). Há relatórios diários e a interface é intuitiva. Senti falta de algumas categorias (como gastos com moradias), ou da possibilidade de cria-las.

4. GuiaBolso (iOS e Android)

Dá para dizer que o GuiaBolso é praticamente o oposto do Mobills.

Ele fez absolutamente tudo por mim: bastou cadastrar minhas contas correntes e senhas bancárias, que ele se conectou com todas e passou a contabilizar instantaneamente todas as movimentações que aconteceram.

Confesso que a priori tive um pouco de receio de colocar minha senha do banco em um aplicativo que não tem relação nenhuma com a instituição, mas já havia escutado algumas recomendações e o próprio app garante que é seguro – e eu fui em frente também para escrever esse texto, claro. Durante este mês, sem problemas!

É fácil principalmente para quem, como eu, gasta muito pouco em dinheiro – realmente não dá trabalho algum: até mesmo as categorias dos gastos são adicionadas automaticamente (trívia: as notas fiscais do Outback curiosamente não estão cadastradas como “restaurante”).

Mas aí entra a questão da disciplina: se o aplicativo faz tudo por você, é você quem tem que se policiar para entrar sempre nele e analisar seus gastos, se não a reeducação vira uma missão um pouco mais difícil.

Assumindo que essa disciplina exista, há a opção de criar um planejamento, consultar sua “saúde financeira” – usando métricas compatíveis com seu perfil financeiro e editar seu extrato (no caso do Outback, por exemplo, eu arrumei manualmente a categoria dentro da seção “extrato).

No primeiro dia, houve um erro de conexão e o app não conseguia ler meus dados bancários. Isso me deixou um pouquinho preocupada, mas aparentemente não é um problema recorrente e não aconteceu mais até agora.

5. Quanto Gastei (iOS, Android, Windows Phone)

A proposta do Quanto Gastei é semelhante à do GuiaBolso: ele se conecta automaticamente ao seu banco para que você não tenha o trabalho de cadastrar todas as suas receitas e despesas. Só tem um porém: não consegui usar esse app com todas as suas funcionalidades porque ainda não está disponível o suporte ao meu banco (Itaú).

De qualquer maneira, resolvi listá-lo por algumas razões:

Primeiro: o aplicativo se conecta também com redes sociais, então é possível – se você tiver vontade de unir suas redes aos seus dados bancários – entrar usando seus dados cadastrais do Facebook, por exemplo.

E segundo: ele tem uma proposta bastante ousada – todas as vezes que você realiza um gasto “quebrado” (R$50,45, digamos), ele arredonda estes centavos ao próximo valor inteiro (R$51,00) e pode investir o restante “da melhor maneira possível”.

Ou seja, existe uma equipe de economistas disposta a escolher o melhor investimento de acordo com o valor e com o seu perfil. Você pode também escolher outros caminhos para este dinheiro que “sobra”, como doações, por exemplo. Tudo isso só pode ser feito com a autorização do usuário.

É uma proposta original, mas infelizmente não pude testar todas as funcionalidades desta vez.

Leia também: 

Os aplicativos que você precisa ter no seu celular
Conheça o Mobills, aplicativo que ajuda a organizar suas finanças
É fácil empreender? Para startup brasileira comprada por gigante americana, não
Empreendedor de 29 anos cria jeito inovador de guardar dinheiro (e Google vai atrás)