Possível “maior serviço do mundo”, AWS comemora 10 anos

Avatar

Por Lucas Bicudo

15 de março de 2016 às 17:07 - Atualizado há 5 anos

Vem aí a melhor formação de líderes do Brasil

Logo Liderança Exponencial Aprenda as novas competências fundamentais para desenvolver uma liderança exponencial e desenvolva diferenciais competitivos para se tornar um profissional de destaque no mercado.

100% online, aulas ao vivo e gravadas

Próxima turma: De 14 a 17/Dez, das 19hs às 22hs

Inscreva-se agora
Logo Cyber Monday 2020

Só hoje, nossos melhores Cursos Executivos ou Programas Internacionais com até 50% off

Quero saber mais

O serviço de nuvem da Amazon AWS comemora sua primeira década de vida no dia de hoje. Quando foi lançado lá atrás em 2006, ninguém colocava a mão no fogo para dizer que o serviço mudaria toda a indústria de computadores e nossas vidas do jeito que mudou.

Tem quem diga que a AWS vai virar uma espécie de “imposto” na internet, já que pode se tornar a grande provedora de infraestrutura dela. Assim, se tornaria o “maior serviço do mundo” – alimentando milhares de empresas.

Aqui está uma lista, segundo o site Business Insider, que mostra quatro pontos em que o AWS (Amazon Web Services) evoluiu e muito nos últimos 10 naos.

1 – Tudo começou pequeno. Em 2006, a Amazon lançou apenas dois serviços: computadores e armazenamento de dados que poderiam ser alugados por hora. Esse foi o início da nuvem.

Hoje, AWS é muito mais do que apenas computadores e armazenamento de dados disponíveis para aluguel. Você ainda pode usufruir desse serviço, mas hoje também são oferecidos mais de 70 deles, como networking, banco de dados, analytics, software e mobile. No geral, o Amazon Web Services é maior que seus próximos quatro concorrentes juntos e está localizado em 12 regiões geográficas diferentes no mundo todo.

2 – Em 2006, ninguém usava o termo “nuvem”. Um ano antes da Amazon ter lançado o AWS, a Sun Microsystems trouxe um sistema de computação em grid de US$ 1 pela hora de uma CPU ou GB de armazenamento e já foi considerada uma ideia radical e “barata”. 

Agora, todos estão familiarizados com computação em nuvem e o AWS é indiscutivelmente o líder do setor. Está no caminho para se tornar um negócio de US$ 10 bilhões para a Amazon, com taxas de crescimento de quase 70%.

3 – Lá atrás, o serviço de nuvem não era a primeira opção das empresas para armazenamento de aplicativos e arquivos. Era devagar, caía o tempo todo e não se sabia muito bem como defender-se de hackers. Mesmo em 2009, quando o Netflix começou a usar o AWS, foi considerado um “banco de dados horrível”, segundo Adrian Cockcroft, que trabalhava na startup.

Hoje, o AWS possui mais de um milhão de usuários ativos, em mais 190 países – incluindo 2 mil agências governamentais, 5 mil escolas e mais de 17 mil empresas sem lucro. Praticamente duas dezenas de grandes empresas, como Intuit, Juniper, AOL e também o Netflix, decidiram fechar seus bancos de dados para usar exclusivamente o da Amazon.

4 – Em 2006, o bilionário e CEO do concorrente Oracle Larry Ellison disse que serviço de nuvem não era nada mais do que uma modinha.

Modinha? Como dito anteriormente, o AWS caminha para ser um negócio bilionário para a Amazon, fora o uso do serviço interno e para suas operações de varejo. Em 2014, o mesmo Larry Ellison queimou a língua e declarou que a Amazon era uma das maiores competidores do Oracle – que agora corre atrás para não dormir no ponto, enquanto o AWS colhe todos os frutos de seu decimal investimento.