Os maiores erros do Google na história

Acredite, a empresa acumula DIVERSOS erros em sua história, alguns muito grandes

Avatar

Por Da Redação

14 de janeiro de 2016 às 10:55 - Atualizado há 4 anos

O Google é uma empresa muito inovadora, desde que surgiu como um excelente buscador utilizando um algoritmo muito esperto para entender o que era um conteúdo relevante e o que não era. Além de seu negócio de buscas, empresa desenvolveu (ou comprou) diversos outros diversos negócios que foram sensacionais: Orkut, Waze, Android, só para citar alguns.

Há uma lista, porém, dos maiores erros do Google em sua história, elaborada pelo Thrilllist. Acredite, a empresa acumula DIVERSOS erros em sua história.

Leia esse e outros conteúdos no blog Appeando

Dê uma olhada:

Google Answers (2002-2006)

O Google Answers foi a tentativa da empresa de vencer iniciativas como o Yahoo (surpresa!!) Answers e o Quora, que hoje em dia representam os lugares em que você faz a maioria das perguntas (das mais idiotas até as mais espertas). Havia um diferencial, porém, que fez com ele fracassasse (de bem intencionado o inferno está cheio): quando você perguntava, ao invés de receber uma resposta de uma pessoa qualquer, você pagava entre 2 e 200 dólares para que um pesquisador profissional fizesse a pesquisa para você (e você não quer pagar só para saber se os personagens do Lost estão mortos no final, quer?)

Google Labs (2006-2011)

Esse era um espaço para discutir e dar feedback em novos produtos da empresa, a ser usado por fãs e desenvolvedores. O problema é que a grande maioria dos projetos ali colocados fracassou (inclusive, praticamente todos desta lista).

iGoogle (2005-2013)

Esse espaço não era uma tentativa da empresa de roubar o “i” tradicional da Apple, não. Ela era uma home page totalmente customizável que traria diversas notícias, resultados de jogos, clima, g-talk e seus e-mails. Contudo, morreu quando a empresa decidiu que o Google+ era o futuro dela (o que deu bem errado).

Google Reader (2005-2013)

Esse era o agregador de RSS da empresa, bastante intuitivo e muito eficiente. Embora efetivamente fosse um bom produto, a empresa o tirou do ar em 2013 por que ninguém usava. Triste.

Google Notebook (2006-2012)

Evernote antes do Evernote, permitindo que você pesquisasse, guardasse os resultados e imagens, salvasse links e escrevesse as notas em um único lugar. Interessante, mas não foi o suficiente para se popularizar. Morreu também e abriu espaço para o próprio Evernote.

Google Health (2008-2013)

A empresa queria que você consolidasse todas as suas informações médicas em um lugar. Nela mesma. Ninguém quis (você já viu um médico recomendar isso?) e o projeto foi para a lixeira.

Google Buzz (2010-2011)

Uma das tentativas de competir com Facebook e Twittter, o Buzz usava o Gmail para criar uma rede social. Só que foi ERRO atrás de erro (tanto que durou dois anos): ninguém ficou sabendo, havia sérios problemas de privacidade e faltavam algumas das coisas mais populares nos outros sites.

Google Wave (2009-2011)

O Google tentou criar uma grande plataforma de colaboração no trabalho anos antes da Slack: juntou mensagens instantâneas, e-mail, videoconferência e rede social em um único lugar. O projeto foi um sucesso durante os testes, mas nunca conseguiu uma base de usuários elevada, principalmente por ser bastante confuso.

Google Dictionary (2009-2011)

Um spin-off do Tradutor (maravilhoso) foi a tentativa da empresa de criar um dicionário. Fracassou, mas ainda existe, já que foi incorporado ao sistema de buscas da gigante.

Google+ (2011-)

A tentativa mais séria de atacar o Facebook (Orkut, pobre, Orkut) foi um fracasso do começo ao fim. Ela está altamente vazia e ninguém nem usa (só 0,3% das pessoas cadastradas postaram alguma coisa em 2015). A empresa já entendeu que não vale a pena forçar as pessoas usarem, mas ainda não matou a rede.

Google Glass (2013-)

O grande óculos do Google (e projeto amado de Sergey Brin) nunca decolou, nem em vendas nem na expectativa dos usuários. Uma interface muito complicada e medo de que isso trouxesse problemas de privacidade foram alguns dos principais motivos para que o Glass virasse uma piada sem-graça na indústria. Uma pena.