O próximo videogame da Nintendo pode ser… uma nuvem?

Patentes da Nintendo e rumores mostram que o suposto aparelho na verdade será um serviço e funcionará com PCs, consoles de outras empresas e até smartphones

Avatar

Por Da Redação

25 de janeiro de 2016 às 11:13 - Atualizado há 4 anos

Um dos itens mais bacanas do Super Mario World era aquela nuvem que o Mario usava para “voar um pouquinho”. Parece que a Nintendo gostou da ideia da nuvem: seu próximo videogame, o Nintendo NX, pode ser um serviço de nuvem, de acordo com os rumores da indústria de videogame, reproduzidos pela IGN Brasil.

Tudo começou no mês passado quando notícias chegaram de que a Nintendo tinha patenteado um sistema novo de “expansão de capacidade”: o usuário tem um aparelho e pode “melhorar a capacidade de processamento” com outras unidades ligadas em rede (bluetooth, provavelmente). Com maior capacidade de processamento, tudo fica melhor: gráficos, rapidez do sistema.

E o mais interessante é que essa “melhoria” do sistema pode tanto ser feito local (com unidades próximas) quanto através da internet, criando uma grande nuvem de processamento. Tem um jogo de Xbox One, Crackdown 3, que inclusive usa esse recurso, e os gráficos ficam melhores quando você está conectado na internet.

Conteúdo de Appeando:
Leia mais:
O navegador que paga o usuário para surfar na internet e o futuro dela
Apple pode ter encontrado uma forma de destruir o Google… e está executando
O erro número 1 do Habib’s (sim, você não leu errado)

Com essa jogada, a Nintendo cria possivelmente um serviço que pode ser usado em qualquer aparelho, já que não depende apenas hardware local. Há até um exemplo funcional desta ideia: o Gamefly, disponível nas SmartTVs da Samsung, que também funciona através da nuvem. Tem inclusive, alguns jogos de consoles recentes, como o Pro Evolution Soccer 2015 e Grid 2.

Seria finalmente a experiência revolucionária que a Nintendo busca desde sua última experiência realmente revolucionária (o Wii). Além disso, permitiria a execução certa da ideia que surgiu no Wii U, de ter um “tablet controle” que reproduz a tela da televisão ou age como uma segunda tela (a depender do jogo).

Possivelmente, este serviço também seria o “último” videogame da Nintendo, de forma parecida com o que a Microsoft pretende com o Windows 10, já que a empresa teria um controle maior sobre o hardware e a capacidade seria expansiva, teoricamente podendo incorporar novas tecnologias sem ter que abandonar todo o resto.

A empresa não informou quando deve lançar o NX, mas é possível que ele seja lançado já em 2016 ou, no mais tardar, no primeiro semestre de 2017. O Wii U é o maior fracasso da história da Nintendo, e a companhia japonesa não vê a hora de virar a página.