Novo processo de reciclagem transforma plástico em combustível

Avatar

Por Lucas Bicudo

8 de Maio de 2017 às 16:15 - Atualizado há 3 anos

Logo ReStartSe

GRATUITO, 100% ONLINE E AO VIVO

Inscreva-se para o Maior Programa de Capacitação GRATUITO para empresários, gestores, empreendedores e profissionais que desejam reduzir os impactos da Crise em 2020

O mundo está enfrentando um crescente problema ambiental com o plástico. Apenas uma percentagem muito baixa de resíduos de plástico é reciclada. Parece que uma bela solução está vindo da empresa britânica Recycling Technologies (RT).

RT está localizada em Swindwon, Inglaterra, e é comandada pelo CEO Adrian Griffiths. Ele e sua equipe, de 22 pessoas, conseguiram criar uma máquina de refinaria, chamada RT7000, para lidar com todos os tipos de resíduos de plástico. Você coloca plástico em uma extremidade e três tipos de óleo podem ser produzidos a partir dele.

O processo baseia-se numa técnica semelhante à utilizada para o cracking térmico. Primeiro o plástico é limpo de quaisquer objetos estranhos, como sujeira ou comida, então ele é aquecido a 500 Cº, usando “partículas de areia quentes.” Isso quebra as ligações de carbono no plástico e o transforma em um vapor. Seus componentes têm diferentes pontos de ebulição, permitindo a criação de três produtos diferentes.

Nos termos mais simples, a conversão de óleo cru a plástico cria hidrocarbonetos muito longos. A refinaria torna esses hidrocarbonetos curtos de novo. O óleo produzido é chamado de Plaxx. Em termos de produção, para cada 7 mil toneladas de plástico, você pode obter 5 mil toneladas de Plaxx. O maquinário será produzido esse ano.

Os três tipos de combustível são: um óleo amarelo claro, adequado para empresas petroquímicas; um óleo de cera semelhante a vela, ideal para uso de motores de navios; e um óleo de cera marrom espesso, que pode ser usado para polimento de sapato e cosméticos.

Isso é puro esforço por inovação. Se a tecnologia vai vingar ou não, só o tempo para saber. A questão é que a empresa se mantém no radar e relevante inovando em seus processos. Temos o e-book: “Como inovar em corporações com startups“, que pode ser baixado gratuitamente através do link e te ajudará a se situar sobre o que está rolando de mais quente no ecossistema.

Uma máquina RT7000 é aproximadamente do tamanho de uma quadra de tênis. Ela custa cerca de US$ 3,8 milhões para instalar e, em seguida, um adicional de US$ 647 mil por ano para ser executada. No entanto, a RT alega que cada máquina é capaz de gerar uma receita de US$ 2,2 milhões, indicando que ela se paga dentro de três anos.

Já é provado que a máquina opera e é rentável. A ideia da empresa é produzir 100 dessas até 2025.

(via Entrepreneur)

Faça parte do maior conector do ecossistema de startups brasileiro! Não deixe de entrar no grupo de discussão do StartSe no Facebook e de inscrever-se na nossa newsletter para receber o melhor de nosso conteúdo! E se você tem interesse em anunciar aqui no StartSe, baixe nosso mídia kit.

[php snippet=5]