Nova pílula para tratar HIV foi aprovada nos Estados Unidos

Tainá Freitas

Por Tainá Freitas

8 de fevereiro de 2018 às 13:46 - Atualizado há 3 anos

Logo ReStartSe

Inscreva-se para o maior e mais audacioso evento de inovação, tecnologia e transformação digital já feito na América Latina. 30 dias que vão mudar sua visão de mundo, dos seus negócios e da sua carreira.

Online e totalmente gratuito - 01 a 30 de outubro/2020

Uma nova pílula para tratar o HIV foi aprovada pelo FDA (Food and Drug Administration), o regulador dos alimentos e remédios permitidos nos Estados Unidos. A descoberta de um novo medicamento pode melhorar a vida de milhões de pessoas, fazendo parte de um mercado bilionário de US$ 22 bilhões, de acordo com o Business Insider. Apenas em 2016, 36,7 milhões de pessoas no mundo inteiro viviam com a condição, segundo a Unaids.

Feita para ser tomada diariamente, o novo medicamento contém as substâncias já utilizadas em outras pílulas de tratamento – emtricitabina e tenofovir alafenamida. A novidade trazida pela pílula é o uso de bictegravir, além de ser necessário tomar uma pílula por dia. Até então, eram mais comuns tratamentos para o HIV com três pílulas ou mais.

A empresa responsável pela nova pílula é a Gilead Sciences, empresa que tem como missão descobrir, desenvolver e comercializar remédios inovadores. A tecnologia tem sido cada vez mais um parceiro da Gilead Sciences e de outras empresas focadas na saúde – inclusive das startups.

As startups de saúde estão cada vez mais numerosas e consistentes, tendo até nome próprio: healthtechs. Para conhecer como as healthtechs estão contribuindo nas mudanças do cenário da saúde, mudando processos e trazendo novos remédios e tratamentos, leia o nosso e-book gratuito.

[php snippet=5]