NFL e Amazon se juntam para trazer inteligência de dados ao esporte

Nenhuma indústria ilustra o poder de um mundo baseado em dados como os esportes

Avatar

Por Lucas Bicudo

29 de novembro de 2017 às 17:18 - Atualizado há 2 anos

A NFL está se juntando à Major League Baseball como um cliente Amazon Web Services, anunciando um acordo hoje para fornecer estatísticas em tempo real. A ferramenta faz parte do programa Next Gen Stats da NFL, que aproveitará as ferramentas de machine learning e análise de dados do AWS para aprimorar sua oferta atual. A MLB teve um acordo semelhante com a ferramenta StatCast.

A NFL usa tags RFID no equipamento do jogador e da bola para capturar dados em tempo real, velocidade e aceleração. Muito parecido com o produto da liga de beisebol, esses dados podem ser usados para aumentar a experiência de transmissão da NFL, ao mostrar aos espectadores uma visão exclusiva da jogada no campo.

Nenhuma indústria ilustra o poder de um mundo baseado em dados como os esportes. Fãs e equipes usam estatísticas para avaliar jogadores e equipes. É exatamente por isso que estamos promovendo a Missão The Future of Sports. Continue lendo a matéria e saiba mais informações.

Além de divertir e informar, as equipes também podem usar esses dados internamente. Depois de cada jogo na NFL, os treinadores possuem acesso à essas informações e descobrem o que os jogadores fizeram bem e o que eles não fizeram bem.

Essa análise pós jogo se tornou algo complexo, mas ao aprimorar o Next Gen Stats com o kit de ferramentas de análise AWS, a NFL agora pode fornecer um nível de sofisticação adicional para o processo de revisão de estatísticas. Matt Swensson, vice-presidente de produtos emergentes e tecnologia da liga de futebol americano, vê isso como um novo nível de informação para treinadores, jogadores e fãs.

Missão The Future of Sports

Em 2010, um grupo de venture capitalists do Vale do Silício adquiriu o time de basquete Golden State Warriors. Em seguida, implementaram um sistema de gestão comumente aplicado em startups. Resultado: em menos de uma década montaram um dos times mais poderosos da história.

Já o San Francisco Deltas é o primeiro time de futebol do mundo criado como uma startup. Focado em inovação, tem como investidores pessoas que ajudaram a começar empresas globais como Apple, Facebook, Google, Paypal, Yahoo, Twitter e outros gigantes do Vale do Silício.

O filme estrelado Brad Pitt, “Moneyball”, é baseado em fatos reais que ocorreram também no Vale do Silício, no time de baseball Oakland A’s. quando a equipe usou a tecnologia e as análises de big data para revolucionar as contratações e montagem de equipes no baseball.

Por que não mais um case? O departamento atlético de Stanford. Antes das olímpiadas do Rio, atletas da universidade já haviam ganho 243 medalhas olímpicas! No Rio, foram mais 18 medalhas (9 de ouro), mais do que muitos países.

Estamos falando de um papo sério. A metodologia do Vale do Silício chegou aos esportes. E não está para brincadeira. Acreditamos que há muito o que aprender com a cultura organizacional de equipes de alto nível. Para isso, montamos a Missão The Future of Sports.

Em uma viagem de uma semana, a missão levará você para descobrir quais são as tecnologias, instituições – de equipes profissionais a startups e marcas estabelecidas – e pessoas que estão revolucionando esportes, acompanhado de pessoas que irão te ajudar a absorver o máximo dessa imersão extraordinária. Acesse aqui para mais informações.

(via TechCrunch)

Participe do maior censo de startups do Brasil! Não deixe de entrar no grupo de discussão do StartSe no Facebook e de inscrever-se na nossa newsletter para receber o melhor de nosso conteúdo!

E caso você tenha interesse em anunciar aqui no StartSe, baixe nosso mídia kit.

[php snippet=5]