Multilaser utiliza 4 projetos de tecnologia para aumentar eficiência

Tainá Freitas

Por Tainá Freitas

30 de janeiro de 2018 às 18:48 - Atualizado há 3 anos

Logo ReStartSe

Inscreva-se para o maior e mais audacioso evento de inovação, tecnologia e transformação digital já feito na América Latina. 30 dias que vão mudar sua visão de mundo, dos seus negócios e da sua carreira.

Online e totalmente gratuito - 01 a 30 de outubro/2020

Aconteceu nesta terça-feira o evento 2018 – A Revolução da Nova Economia, na qual o CEO da Multilaser, Renato Feder, discutiu as medidas de tecnologia que a empresa utilizou para maximizar seus resultados.

O primeiro projeto foi uma tecnologia que está sendo cada vez mais utilizada por pequenas e grandes empresas: reconhecimento por voz. A tecnologia está ficando cada vez mais acessível pois está presente nos smart speakers da Amazon, Apple e Google, com a Alexa, Siri e Google Assistente, respectivamente.

Voice Recognition

O reconhecimento por voz foi utilizado na Multilaser na localização de produtos, que encontram-se espalhados em 40 mil diferentes pallets. Foi desenvolvido, em um ano e meio, um voice picking que localizava os produtos desejados para os colaboradores, que os retiravam de acordo com o que a máquina dizia. “O colaborador fica com mãos e olhos livres, tivemos 35% de ganho em produtividade e a nossa precisão no processo de separação foi de 99,9%”, comentou Feder.

O investimento previsto da empresa para o projeto era de R$ 1,8 milhão, mas a empresa conseguiu uma economia de R$ 1,5 milhões ao utilizar smartphones e fones de ouvido da própria marca.

FOTA – firmware over the air

Um problema enfrentado nos produtos da Multilaser é que, quando o sistema operacional dos devices como smartphones e tablets atualizavam, os equipamentos da empresa não acompanhavam a mudança. Com o firmware over the air, o FOTA, os produtos começaram a ser atualizados automaticamente. “Temos dezena de milhões de produtos na rua e eles se atualizam mensalmente, semanalmente. As atualizações ocorrem e você nem percebe. Foi revolucionário contar com essa tecnologia dos nossos devices se atualizarem automaticamente”, comentou Feder.

A tecnologia possibilitou que os produtos tivessem uma maior duração e compatibilidade com os devices, pois muitas vezes deixavam de funcionar por tornarem-se incompatíveis por falta de atualização. Com a atualização automática, esse problema não acontece mais.

IOT – internet das coisas

A famosa internet das coisas foi utilizada para que 70% das linhas de produção fossem gerenciadas online, o que trouxe uma economia no custo de produção de 17%, além de um ganho de produtividade.

Chatbots

Os chatbots foram citados pelo Maurício Benvenutti, sócio da StartSe, como uma das principais inovações sendo discutidas no Vale do Silício ultimamente e a Multilaser também adotou essa tecnologia. Em 2017, foram realizados 1 milhão de atendimentos pela empresa – 50% em forma de atendimentos por voz, 50% por chat. “O chatbot é um ponto essencial que a indústria 4.0 está trazendo. Eu já atendo bem, mas sempre posso atender melhor”, comentou o CEO da Multilaser.

Em busca de bots efetivos, a Multilaser investiu R$ 60 milhões no pós-venda, o que a tornou a empresa mais avaliada inclusive no Reclame Aqui, plataforma de reclamações online sobre empresas.

[php snippet=5]