MIT está desenvolvendo impressora 3D dez vezes mais rápida que as do mercado

De acordo com a equipe, objetos que levam cerca de uma hora para impressão em sistemas convencionais são feitos em questão de minutos

Avatar

Por Lucas Bicudo

29 de novembro de 2017 às 18:15 - Atualizado há 2 anos

Há algumas razões pelas quais a impressão em 3D ainda não ter decolado com os consumidores. Se você já tentou imprimir qualquer coisa maior do que um centavo, você sabe que, como um grande filósofo disse uma vez, a espera é a parte mais difícil.

Uma equipe de engenheiros do MIT apresentou uma impressora 3D capaz de criar objetos até 10 vezes mais rápidos do que as concorrentes nesse nicho. De acordo com a equipe, objetos que levam cerca de uma hora para impressão em sistemas convencionais são feitos em questão de minutos.

Gostou? Não sai daí: a StartSe montou um curso online de introdução à Nova Economia, responsável por todas essas mudanças. Basicamente, essa nova onda está revolucionando a cultura de gestão corporativa. A tecnologia tem desafiado modelos de negócios estabelecidos. As boas práticas de gestão e governança são importantes, mas não aceleram mudanças disruptivas. Existe um novo ecossistema de inovação que quer tomar o mercado dos incumbentes. Como juntar forças e se beneficiar dessa conexão, visando tanto a inovação radical, quanto a inovação incremental? Essas questões serão discutidas no Corporate Startup Innovation. Não perca a oportunidade de conhecer o evento que a StartSe está promovendo sobre inovação corporativa via startups.

O sistema é construído em torno da FDM – a mesma tecnologia usada na maioria das impressoras 3D de área de trabalho, que deposita camadas de plástico fundido para construir uma estrutura. O MIT fez alguns ajustes importantes para acelerar as coisas, incluindo um mecanismo de parafuso que alimenta os filamentos através de velocidades mais altas. Vale dizer que ainda é um protótipo e tem chão ainda até ser comercializada.

“Eu ficaria emocionado se chegasse ao mercado”, disse o professor John Hart. “Não temos certeza do quanto vai demorar ainda. Podemos iniciar nossa própria empresa que criará ou venderá essas impressoras de desktop mais rápidas ou trabalharemos com uma empresa de impressoras 3D existente para licenciar a tecnologia em suas máquinas atuais”.

Confira um vídeo:

(via TechCrunch)

Participe do maior censo de startups do Brasil! Não deixe de entrar no grupo de discussão do StartSe no Facebook e de inscrever-se na nossa newsletter para receber o melhor de nosso conteúdo!

E caso você tenha interesse em anunciar aqui no StartSe, baixe nosso mídia kit.

[php snippet=5]