Microsoft deve passar a usar versão modificada do Android em seus smartphones

Avatar

Por Júlia Miozzo

22 de outubro de 2015 às 11:11 - Atualizado há 5 anos

Logo ReStartSe

Inscreva-se para o maior e mais audacioso evento de inovação, tecnologia e transformação digital já feito na América Latina. 30 dias que vão mudar sua visão de mundo, dos seus negócios e da sua carreira.

Online e totalmente gratuito - 01 a 30 de outubro/2020

SÃO PAULO – Um estudo feito por empresas de pesquisa mostrou que as plataformas móveis da Microsoft, que incluem o Windows Phone e o Windows 10 Mobile, contam apenas com 77 milhões de usuários. Parece ser um número grande a princípio, mas esse é o número de unidades do iPhone vendidas apenas em um trimestre deste ano.

Como Business Insider explica, uma maneira de reverter tal situação seria criar uma versão adaptada do Android para usar em seus celulares – e é algo um tanto simples. O código fonte do Android está sob licença de código aberto, sendo impossível apenas que a nova versão da Microsoft adicione aplicativos e serviços da empresa ao sistema operacional modificado, substituindo os do Google.

Questionada sobre a possibilidade de isso acontecer no início do próximo mês, a executiva da Microsoft Julie Larson-Green não negou, dizendo apenas que “irão onde os consumidores estão”. No início de 2014, algumas atitudes da empresa deram sinais de que algo relacionado ao Android pudesse acontecer: uma parceria estratégica foi anunciada com a CyanogenMod, empresa fabricante de uma das versões alternativos mais famosas do Android, cujo CEO afirmou que tem a intenção de “tomar o Android do Google”. A parceria afirma que os usuários podem ter acesso a aplicativos e serviços de diversas categorias da Microsoft.

A Microsoft também já comprou quatro startups que são uma peça chave: os aplicativos Acompli, de e-mail; Sunrise, de calendários; Wunderlist, de listas; e Double Labs, que substitui a tela de bloqueio do Android. Eles poderiam ser os substitutos para os serviços do Google.

O assunto não é tão novo quanto parece, já que a Microsoft já foi fabricante de um celular Android – o Nokia X. O smartphone, lançado em 2014, rodava uma versão bifurcada do Android, mas que apresentava muitos problemas na época.

Para a Microsoft, o real problema de contar com uma parcela tão pequena do mercado é não atrair nenhum desenvolvedor de aplicativos, o que implica na venda de celulares, levando em conta que Android e iOS são destaque no mercado por conta da grande variedade de apps que possuem.