Microsoft adquire startup de inteligência artificial para tornar a Cortana mais humana

Avatar

Por Isabella Câmara

22 de Maio de 2018 às 14:01 - Atualizado há 2 anos

Logo ReStartSe

GRATUITO, 100% ONLINE E AO VIVO

Inscreva-se para o Maior Programa de Capacitação GRATUITO para empresários, gestores, empreendedores e profissionais que desejam reduzir os impactos da Crise em 2020

Alguns chatbots são tão naturais que até parecem que são pessoas de verdade – e isso parece ser uma tendência real no futuro. Atualmente, vários gigantes da tecnologia já estão tentando tornar seus assistentes pessoais mais humanos, como a Amazon, que pretende dar à Alexa uma “memória” e até adicionar mais contexto às conversas. Mas não é só a Amazon que está apostando na tecnologia. O assistente do Google está ficando tão inteligente que, em breve, poderá fazer ligações em nome da pessoa – sem a outra descobrir que é um robô.

Para não ficar para trás nessa corrida tecnológica, a Microsoft anunciou ontem (21) que adquiriu a Semantic Machines, uma startup de Berkeley que veio para resolver um dos maiores desafios da inteligência artificial: tornar a conversação dos robôs mais humana. Mas a Microsoft não divulgou detalhes financeiros da aquisição.

A equipe da Semantic, que já havia liderado o desenvolvimento do reconhecimento automático de fala da Apple, usa machine learning para adicionar contexto às conversas com os chatbots. “Com a aquisição da Semantic Machines, vamos estabelecer um centro de excelência de conversação em Berkeley para avançar os limites do que é possível”, disse David Ku, Diretor de Tecnologia da Microsoft.

Com a parceria, a Microsoft pretende tornar a Cortana, sua assistente pessoal, uma referência no assunto. “Combinando a tecnologia das máquinas semânticas com os avanços de inteligência artificial da Microsoft, pretendemos proporcionar experiências de usuário poderosas, naturais e mais produtivas que levarão a computação conversacional a um novo nível”, disse David Ku, Diretor de Tecnologia da Microsoft.

Assistentes pessoais com inteligência artificial são fundamentais para os smart speaker ativados por voz, como o Eco da Amazon e o Google Home. A Microsoft não construiu seu próprio smart speaker ainda, mas já fez uma parceria com a Harman Kardon, em 2016, para integrar a Cortana ao Invoke.

Se manter competitivo nunca foi tão complexo quanto agora, na Nova Economia. Por isso, pensando em se manter vivo no ecossistema, a Microsoft decidiu explorar a inteligência artificial ao adquirir a Semantic. Ficou interessado em saber mais sobre a Nova Economia? Leia nosso e-book gratuito.


(Via: CNBC)