Vida eterna? Cientistas transferem cérebro de ser vivo para computador

Avatar

Por Elena Costa

8 de março de 2018 às 10:19 - Atualizado há 3 anos

Logo ReStartSe

Inscreva-se para o maior e mais audacioso evento de inovação, tecnologia e transformação digital já feito na América Latina. 30 dias que vão mudar sua visão de mundo, dos seus negócios e da sua carreira.

Online e totalmente gratuito - 01 a 30 de outubro/2020

Cientistas da Universidade Técnica de Viena, Áustria, clonaram o sistema nervoso de um verme e implantaram em um verme robótico. Eles conseguiram fazer com que o robô se comportasse da mesma forma que o vivo, também sendo capazes de adicionar novas habilidades ao ver verme por meio de métodos de psicologia comportamental.

Para o experimento os cientistas utilizaram o verme Caenorhabditis elegans, verme que apresenta 1 milímetro de comprimento e uma rede neural de apenas 300 neurônios. Ao clonarem o sistema, ele foi implementado em um computador para depois ser colocado no verme robô, que nem necessitou de programação. Caenorhabditis elegans foi escolhido para o experimento por ter uma rede neural favorável para o teste. Ação é uma forma de tentar entender e recriar a atividades cerebral dos seres vivos.

É inacreditável o que aconteceu e isso abre caminho para uma novidade muito desejada por muita gente: a vida eterna. Se isso se tornar escalável, conseguiremos transformar seres humanos em imortais! Conheça as inovações que vão fazer a diferença na área de saúde (e que estão nos levando para a vida eterna) no Healthtech Conference!

(Via History)

[php snippet=5]