Honda investe US$ 2 bilhões em carros autônomos em parceria com a GM

Tainá Freitas

Por Tainá Freitas

3 de outubro de 2018 às 16:53 - Atualizado há 2 anos

Vem aí a melhor formação de líderes do Brasil

Logo Liderança Exponencial Aprenda as novas competências fundamentais para desenvolver uma liderança exponencial e desenvolva diferenciais competitivos para se tornar um profissional de destaque no mercado.

100% online, aulas ao vivo e gravadas

Próxima turma: De 22 a 25/Fev - 2021, das 19hs às 22hs

Inscreva-se agora
Logo Cyber Monday 2020

Só hoje, nossos melhores Cursos Executivos ou Programas Internacionais com até 50% off

Quero saber mais

O setor de veículos autônomos acaba de ganhar um grande reforço: a Honda irá investir US$ 2 bilhões na Cruise, uma subsidiária da General Motors criada para desenvolver e produzir os carros inteligentes. O aporte será realizado aos poucos, ao longo dos próximos 12 anos.

Mas, apesar do investimento ser à longo prazo, a Honda está antecipando US$ 750 milhões para comprar uma fatia de 5,7% da Cruise. O aporte fará a companhia atingir um valuation – valor de mercado – de US$ 14,6 bilhões, mas há quem acredita que a startup poderá valer até US$ 43 bilhões. Em maio deste ano, a startup já havia recebido um investimento de US$ 2,25 bilhões feito pela Softbank.

A meta da Cruise é lançar uma frota de veículos com serviços autônomos já em 2019. “O relacionamento de longa duração que temos com a Honda vai nos permitir avançar muito rapidamente em acelerar nossos esforços”, disse Dan Ammann, presidente da GM, em apresentação para a imprensa.

A General Motors é uma das montadoras mais avançadas nesse setor – ela já desenhou, inclusive, o protótipo de um carro autônomo sem volante e pedais, que será lançado no ano que vem. A companhia também está planejando lançar um carsharing em sua plataforma de aluguel de carros, a Maven.

Essa não é a primeira vez que duas montadoras se unem por um objetivo. Recentemente, a BMW e a Mercedes-Benz também uniram seus serviços de corrida por aplicativo, o que intensificou a competição neste mercado.