Húngara que derrubou refugiado quer processar Facebook por “inflamar pessoas”

Segundo cinegrafista, a rede social não removeu grupos que a ameaçavam de morte

Avatar

Por Paula Zogbi

22 de outubro de 2015 às 10:18 - Atualizado há 4 anos

Depois de vídeo em que chutava refugiado e derrubando outro que corria com filho no colo, a cinegrafista húngara Petra Laszlo afirmou em entrevista a jornal que processará o Facebook.

De acordo com ela, a rede social teria removido páginas que apoiavam sua atitude e deixado no ar outros grupos que a ameaçavam de morte, e isso teria ajudado a “inflamar as pessoas” contra ela, diz a entrevista, publicada na terça-feira (20).

A cinegrafista, que foi demitida da rede em que trabalhava e será julgada em dezembro pela agressão, também afirmou ao veículo que provará na justiça que Osama Abdul Mohsen, o pai que derrubou no vídeo amplamente divulgado, está errado. Ele teria mudado o depoimento que deu à polícia.

Laszlo disse também afirmou ao jornal que pretende se mudar para a Rússia e que, no momento do vídeo, teve um ataque de pânico.

Leia mais:

Google e Apple se preocupem: Facebook diz que Messenger só está 1% pronto

Facebook do Neymar vale US$ 9 bilhões e empreendedor diz que pode ganhar com ele

A empresa brasileira que é uma verdadeira fantástica fábrica de aplicativos