Healthtech conecta médicos e pacientes através de geolocalização

Tainá Freitas

Por Tainá Freitas

7 de fevereiro de 2018 às 15:09 - Atualizado há 3 anos

Logo ReStartSe

Inscreva-se para o maior e mais audacioso evento de inovação, tecnologia e transformação digital já feito na América Latina. 30 dias que vão mudar sua visão de mundo, dos seus negócios e da sua carreira.

Online e totalmente gratuito - 01 a 30 de outubro/2020

Startups de healthtech estão trazendo, além de novas tecnologias para a saúde, um meio termo entre os planos de saúde e o serviço público. Esse é o propósito da startup Vida Class: conectar pacientes e médicos através de filtros como geolocalização, preço e especialidade, para encontrarem o “match” certeiro.

O paciente que deseja agendar consultas ou exames por meio da Vida Class não paga taxa de adesão ou mensalidade. O profissional é escolhido com base nos resultados da filtragem e o agendamento da consulta é feito na própria plataforma. Não há um valor definido para cada profissional, mas descontos são oferecidos por meio da plataforma.

“O abatimento é sobre o preço de balcão, nós sugerimos o valor a cada médico. Não fazemos nenhum tipo de imposição, apenas recomendamos que ele pratique um preço que o paciente consiga pagar”, afirmou Vitor Moura, CEO da plataforma Vida Class. Para facilitar ainda mais o acesso a saúde, a plataforma permite o pagamento através do boleto bancário e parcelamento.

[php snippet=5]

Seguros de internação e descontos em remédios

Além de conectar médicos e pacientes, a healthtech também busca solucionar problemas que surgem depois das consultas. Frequentemente os pacientes precisam tomar remédios ou, em casos mais graves, de internação. A plataforma possui o programa Vida Class Farma, um cartão que traz descontos de 60 a 95%, aceito em mais de 22 mil farmácias no país. Nesse caso, há a mensalidade de R$ 7,99, convertidos para créditos no celular.

Frequentemente pacientes deixam de receber o tratamento na hora necessária por alguns motivos: dificuldade de tirar uma licença remunerada no trabalho ou, em casos de trabalhadores autônomos, essa opção não existe. A Vida Class percebeu esse problema e realizou uma parceria com uma seguradora para um seguro de diária hospitalar. Assim, o paciente continuará recebendo renda mesmo nos dias da internação – o que ajuda com os gastos do período, que geralmente não são programados.

“Não é um seguro pago ao hospital, mas que será pago ao segurado. Mesmo que o beneficiário se trate no SUS, ele receberá o seguro se ficar internado”, explicou o CEO da healthtech.

Atualmente, a startup está presente em 99 cidades, possui mais de 11 mil profissionais de saúde cadastrados e 12 clínicas de exames em capitais. Se você deseja conhecer mais soluções para a saúde trazidas por startups e outras empresas utilizando tecnologia, participe da Healthtech Conference que acontecerá em São Paulo.