Guerra dos smartphones: quem pode bater de frente com a Apple em 2016

Samsung e LG despontam em 2016 como principais rivais da supremacia da Apple

Avatar

Por Lucas Bicudo

7 de março de 2016 às 14:53 - Atualizado há 4 anos

A Apple continua dependente do iPhone, isso é um fato. No último trimestre, só o smartphone gerou cerca de 68% de sua receita e provavelmente essa porcentagem irá aumentar com o lançamento de seu novo modelo, mostra o TechInsider.

É também do conhecimento de todos que os usuários da marca são completamente leais aos seus produtos, o que garante a Apple uma boa consistência em todos os seus lançamentos.

Mas agora nos encontramos em uma situação que isso talvez não seja o suficiente para manter a companhia soberanamente na primeira posição do mercado de celulares top de linha. À sua frente, o Samsung Galaxy S7 e o LG G5, os dois aparelhos com potencial suficiente para bater de frente com o iPhone 7.

Ano passado, a Samsung se reinventou e lançou um de seus smartphones mais revolucionários: o Galaxy S6. Largou o revestimento de plástico e mostrou ao mundo um novo aparelho feito inteiramente de metal e vidro, com um display de alto nível e um processador parrudo. Entretanto, as decisões tomadas acerca de seu design não acompanharam sua usabilidade e muitos dos recursos característicos de um celular Samsung foram deixados de lado.

O Galaxy S7 surge como um aprimoramento da revolução da marca. Corrige grande parte dos erros cometidos em seu modelo antecessor e traz de volta features bem conhecidos por seus usuários, como a possibilidade de acoplar um cartão Micro SD externo e ser a prova d’água, além de possuir uma bateria que pode ser recarregada sem a presença de fios.

A Samsung se mexeu e voltou a despontar como uma séria candidata pela liderança do mercado de smartphones, à medida que a competição aumentou e a pressão por inovações bateu em sua porta. Agora nomes como LG, Huawei e Xiaomi ganham cada vez mais espaço, de uma forma ou de outra, e a marca teve de acompanhar todas essas tendências.

A LG, por exemplo, no lançamento de seu novo modelo, oferece melhorias em praticamente todas as áreas que um heavy user espera: uma câmera melhor, um processador mais rápido, mais memória RAM, um scanner de impressão digital, USB-C e uma novidade que pode alavancar o nome da companhia a outros patamares nessa disputa: o desenvolvimento de aparelhos modulares.

Para o G5, a princípio, foram criados dois módulos. O primeiro, em parceria com a Bang & Olufsen, é um adaptador de áudio que deve prover ao G5 uma experiência acústica em outro nível. O segundo é ideal para aqueles que querem fazer de seu celular sua câmera digital, melhorando a qualidade das fotos e da bateria.

É fácil imaginar inúmeros módulos que supririam a necessidade do mais variado tipo de usuários, como um e-ink display, um controle de games, painéis solares… É claro também que isso pode não dar em nada, mas há de se concordar que essa é uma das novidades mais excitantes do Android nos últimos tempos, o que pode garantir à LG uma nova legião de fãs.

Nos Estados Unidos, Apple, Samsung e LG são as que mais vendem smartphone. De 200 milhões de usuários registrados, segundo a comScore, 42.9% estão com o iPhone, 28.4% com Samsung e apenas 9.9% com a LG. Existe uma série de modelos que estão surgindo que podem dar uma coceira no ouvido da Apple, mas é possível diagnosticar, de fato, que o Galaxy S7 e o LG G5 sejam os aparelhos com mais potencial para abalar essa estrutura, devido ao seu know-how já conhecido pelo público e o aprimoramento de suas tecnologias em outro patamar.