CEO da Delta ressalta a importância da tecnologia para o futuro do setor aéreo

Ed Bastian destaca que período de crise e terrorismo acabaram por atrasar investimentos em tecnologia para o setor aero

Avatar

Por Elena Costa

19 de dezembro de 2017 às 13:55 - Atualizado há 2 anos

CEO da Delta Airlines, Ed Bastian, afirma que as companhias aéreas perderam uma década de investimento em tecnologia já que “foi tudo sobre ‘quebra-repara’, significa consertar algo que quebrou. Não houve inovação”. Em outras palavras, ele ressalta que durante muitos anos o setor aéro não procurou se inovar, apenas consertar o que havia quebrado.

Ele ressalta que o que faz com que os sistemas das companhias entrassem em pane ou caíssem era sua tecnologia arcaica já que as empresas não possuíam capital suficiente para investir no setor tecnológico. Esse fator juntamente com o a crise financeira e 11 de setembro atrasaram ainda mais o investimento no setor.

“Muitos de nós passaram por uma bancarrota e reestruturação do Capítulo 11. O único dinheiro que devemos gastar em tecnologia foi apenas para manter as luzes acesas “, completa o CEO sobre a situação.

Assim que conseguiu se reerguer a Delta tinha determinada urgência em outros fatores que o tecnológico. “As pessoas tomaram cortes salariais. Houve perdas de emprego e precisávamos restaurar a fé em nossa empresa “, completa Bastian .

Com esse movimento e um crescimento de salários com participações crescendo 80% desde 2008, Bastian voltou o foco no setor tecnológico da empresa. Com um capital atual para adquirir o que bem desejar, a Delta agora busca os profissionais adequados para essa missão de inovação.

Com essa missão em mente a empresa lançou no ano passado um data center para reforçar os problemas de estabilidade dentro da sua rede informática ao lançar projetos experimentais com tecnologia de reconhecimento facial e biométrico em seus terminais. Visto a tecnologia como algo que pode fazer a empresa virar uma e-commerce, Bastian destaca que a Delta não seguirá este caminho.

Ele quer que a tecnologia ajude a sua companhia aérea a entender melhor os seus consumidores e interagir com eles também. Para que dessa forma, aprimore a experiência de voo e estreite a relação com eles. “Estamos no negócio de construir relacionamentos e nossa tecnologia nos permite construir relações íntimas com 180 milhões de clientes por ano e você só pode fazer isso através da tecnologia”, ressalta Bastian.

Para Ed Bastian, CEO da Delta, esse database irá ajudá-los a entendê-los com marca e também aqueles que os consome, podendo dessa forma aprimorar o serviço. Destacando que irão obter o que cliente quer antes mesmo perceber o que realmente deseja, cuidando das necessidades deles. Com foco no ponto de vista da experiência e não somente vendas.

A forma como fazemos negócios está mudando. Mas o que vimos até aqui foi só a ponta do iceberg. Você está preparado para a Nova Economia? Reunimos as mentes mais brilhantes do Brasil para debater os pontos fundamentais que vão impactar seus negócios e sua carreira em 2018: A Revolução da Nova Economia

(Via Business Insider)

Participe do maior censo de startups do Brasil! Não deixe de entrar no grupo de discussão da StartSe no Facebook e de inscrever-se na nossa newsletter para receber o melhor de nosso conteúdo!

E caso você tenha interesse em patrocinar eventos da StartSe, envie um e-mail para patrocinio@startse.com.br

[php snippet=5]