Facebook proibiu anúncios sobre criptomoedas, ICOs e opções binárias

Tainá Freitas

Por Tainá Freitas

31 de janeiro de 2018 às 11:36 - Atualizado há 3 anos

Logo ReStartSe

Inscreva-se para o maior e mais audacioso evento de inovação, tecnologia e transformação digital já feito na América Latina. 30 dias que vão mudar sua visão de mundo, dos seus negócios e da sua carreira.

Online e totalmente gratuito - 01 a 30 de outubro/2020

Nesta terça-feira, o Product Management Director do Facebook, Rob Leathern, anunciou que a rede social criou uma nova política para propagandas. Agora, as empresas não poderão criar anúncios sobre produtos e serviços financeiros que estão “frequentemente associados a práticas promocionais enganosas, como opções binárias, criptomoedas e oferta inicial de moedas”.

A justificativa de Leathern é que a rede social deseja que os usuários “continuem a descobrir e aprender sobre novos produtos e serviços a partir dos anúncios, sem medo de esquemas enganosos ou decepções”. “Isso dito, há muitas empresas que estão anunciando opções binárias, ICOs e criptomoedas que não estão operando de boa fé”, escreveu. Com a popularização do Bitcoin e a falta de regulação das criptomoedas, elas têm sido um alvo de enganação para muitas pessoas.

O Diretor de Product Management do Facebook ainda confessa que a rede social poderá não captar todos os anúncios que ofendem a nova política, e por isso encoraja aos usuários a reportar esse tipo de conteúdo.

Na declaração, foram citados exemplos de anúncios problemáticos: “Clique aqui para saber mais sobre a nossa criptomoeda sem riscos que permite pagamentos instantâneos para qualquer pessoa do mundo”; “Use o seu fundo de aposentadoria para comprar Bitcoin!” e “NOVA ICO! Compre tokens com 15% de desconto AGORA!”.

Segundo o Financial Times, um porta-voz do Facebook disse que o motivo da proibição foram as reclamações dos usuários. Há menos de um mês atrás, o CEO do Facebook Mark Zuckerberg, afirmou que iria estudar “os aspectos negativos e positivos” das criptomoedas.

Recentemente, o Facebook inclusive adquiriu uma startup para verificar a identidade dos anunciantes na rede social. O motivo da compra foi a preocupação da divulgação de fake news; com a proibição dos anúncios duvidosos sobre serviços financeiros já polêmicos, a preocupação da empresa é, novamente, se seus usuários estão sendo enganados.

O Facebook é uma empresa originada no Vale do Silício – o maior pólo de inovações do mundo -, que revolucionou a rede social. Hoje, a empresa já é dona de outras redes sociais como Instagram e WhatsApp, e possui uma grande influência na internet e na vida dos usuários. Para saber mais sobre as novidades trazidas pelo Vale do Silício, participe da Silicon Valley Conference.

[php snippet=5]