Especial Construtech: conheça as inovações mais promissoras

Avatar

Por Isabela Borrelli

13 de dezembro de 2017 às 16:07 - Atualizado há 3 anos

Logo ReStartSe

GRATUITO, 100% ONLINE E AO VIVO

Inscreva-se para o Maior Programa de Capacitação GRATUITO para empresários, gestores, empreendedores e profissionais que desejam reduzir os impactos da Crise em 2020

Do projeto à execução de uma construção são necessários meses, senão anos, para chegar ao produto final. Para isso, diversos estágios devem ser seguidos, como a compra do terreno, fornecimento de materiais, contratação de terceirizados, entre outros. No entanto, apesar de ter grande importância, a maioria do setor ainda conta com processos engessados. É aqui que surge startups de construtech!

Venha para a Construtech Conference e aprenda tudo do setor com especialistas da área. Inscreva-se!

Segundo a McKinsey&Company, a área sofre frequentemente com falhas que poderiam ser facilmente superadas – como erros na comunicação entre donos, construtoras e terceirizados, na organização a longo prazo, na gestão de performance e de risco, entre outros. Essas questões têm consequências diversas como o atraso desnecessário de processos e, principalmente, o aumento do custo.

Os gastos relacionados à construção equivalem a 13% do PIB mundial. Ao mesmo tempo, o crescimento anual de produtividade teve um aumento de somente 1% nos últimos 20 anos! A baixa produtividade do setor faz com que seja perdido um montante estimado entre US$ 1,6 trilhões e US$ 2,3 trilhões por ano, como revela o gráfico:

gráfico sobre produtividade de construtechs

No entanto, onde há problemas há oportunidades e o setor de construção se mostra cheio delas. Segundo Romeo Busarello, diretor de marketing da Tecnisa, o mercado é muito promissor: “Se tem um mercado que precisa de startups para melhorar processos e aumentar produtividade é o nosso”.

De fato, a área ainda conta com poucas iniciativas inovadoras e uma prova disso pode ser o baixo uso de tecnologias pelo mercado de construção. Não é de se surpreender que a área é a segunda do mundo que menos adota tecnologias, ficando à frente somente de agricultura e caça.

gráfico sobre setores digitalizados e construtech

Bruno Loreto, head da Construtech Ventures, deixa claro que o uso precário da tecnologia na construção é um sintoma mundial, mas que está com os dias contados. “Os últimos meses, principalmente de um ano para cá, estão sendo um ponto de virada. Em 2018 e 2019, eu tenho certeza que construtech vai ser uma das indústrias que mais vai se destacar”, afirma Loreto.

Sem dúvida, é importante ficar de olho no setor, assim como em suas inovações e iniciativas mais promissoras.

Quer saber quais são as inovações mais promissoras?

Baixe nosso eBook gratuito e tenha acesso ao material completo:imagem da capa do ebook de construtech