Entrar no mercado de carros de luxo não é uma boa ideia para a Apple

Avatar

Por Lucas Bicudo

15 de março de 2016 às 16:48 - Atualizado há 5 anos

Logo ReStartSe

GRATUITO, 100% ONLINE E AO VIVO

Inscreva-se para o Maior Programa de Capacitação GRATUITO para empresários, gestores, empreendedores e profissionais que desejam reduzir os impactos da Crise em 2020

O Project Titan, carro de luxo da Apple idealizado por Gene Munster, pode estar caminhando para um beco sem saída. Isso porque há uma má interpretação do mercado em que o produto está sendo colocado.

Munster contou ao site Apple Car Fans que a ingressão do carro no leque de produtos Apple ajudará a marca a ter uma ótima oportunidade de crescimento. A previsão é que o veículo chegue aos mercados apenas em 2021, entretanto. Outro ponto levantado por Munster é que “o Apple Car provavelmente estará inserido no segmento de carros elétricos de luxo e a Tesla é a melhor opção de companhia para auxiliá-los no desenvolvimento dessa tecnologia”.

E é isso que preocupa. É isso que faz Munster e outros analistas projetarem errado as expectativas em cima do projeto. Não só a Apple, que é completamente alheia ao crescimento desse segmento, mas a própria Tesla, líder de mercado, ainda não está preparada para fazer uma grande mudança do setor. Isso porque ainda está intrínseco na cabeça das pessoas a cultura do carro que precisa ser dirigido e funcional via combustível fóssil. Enquanto isso não for alterado, nenhum barulho qualquer uma dessas companhias conseguirá fazer.

Embora a Tesla surja como a salvadora da pátria para o novo modelo de negócios, não há muita competição na área, o que significa que o que existe é isso mesmo que nós vemos e tomamos como exemplo. Ainda há uma grande estrada para a fomentação desse segmento, o que significa que o investimento da Apple na área pode ser tão equivocado quanto dizer que a Tesla está sendo disruptiva em algo nesse momento.

É possível que o Model 3 da Tesla, divulgado como um veículo de massa, consiga mudar a mentalidade dos consumidores, assim como o Chevy Bolt da GM. Mas Munster não está lançando o carro da Apple no mercado de massa. Ele segue absolutamente afinco a filosofia da marca e cria uma sensação de exclusividade e luxo ao colocar o produto no preço de US$ 75 mil.

E não é que esse mercado de luxo e carros elétricos ainda seja pequeno; as próprias chances de sucesso são incertas.

Assista também: