Tem alergia a amendoim? O dispositivo portátil da Nima pode ajudá-lo

Avatar

Por Isabella Câmara

10 de janeiro de 2018 às 17:12 - Atualizado há 3 anos

Logo ReStartSe

Inscreva-se para o maior e mais audacioso evento de inovação, tecnologia e transformação digital já feito na América Latina. 30 dias que vão mudar sua visão de mundo, dos seus negócios e da sua carreira.

Online e totalmente gratuito - 01 a 30 de outubro/2020

A Nima, que criou um detector de glúten portátil, desenvolveu uma versão para pessoas com alergia a amendoim. A empresa anunciou durante o CES 2018 que começará a planejar as encomendas do detector e enviará para os clientes até o final deste ano.

Descubra quais as inovações mais promissoras que estão chegando no evento 2018: A Revolução da Nova Economia!

O sensor é projetado para que pessoas com alergia ao alimento sejam capazes de testar se o produto possui ou não o alérgeno. O detector é quase idêntico ao sensor de glúten da empresa. Ambos são dispositivos que cabem na palma da mão, possuem uma pequena tela, um botão de energia e uma abertura para cápsulas de teste.

O funcionamento do detector é simples: você coloca uma amostra do alimento do tamanho de uma ervilha na cápsula de teste e pressiona o botão liga/desliga para iniciar o teste. Se um ícone de amendoim aparecer no visor, significa que o Nima detectou a presença do alimento na amostra. Caso a amostra de alimento conte com menos de 20 partes por milhão de amendoim, o visor exibirá um sorriso.

O dispositivo, que é habilitado para Bluetooth, também se conecta a um aplicativo Android ou IOS. Com isso, é possível compartilhar seus resultados, avaliar restaurantes e produtos e procurar opções de alimentos que não contenham o alérgeno.

O preço de um kit inicial, que inclui o sensor e um pacote com 12 cápsulas de teste, será de US$ 289, com um desconto de US$ 60 caso você solicite o aparelho até 8 de março. A parte, cada pacote com 12 cápsulas custam US$ 72.

O que mais esperar de 2018? Saiba mais sobre as tendências para esse ano no evento 2018: A revolução da Nova Economia. Inscreva-se!

(Via CNET)