Dinheiro do World of Warcraft já vale 7 vezes mais do que moeda venezuelana

Da Redação

Por Da Redação

11 de Maio de 2018 às 11:30 - Atualizado há 3 anos

Vem aí a melhor formação de líderes do Brasil

Logo Liderança Exponencial Aprenda as novas competências fundamentais para desenvolver uma liderança exponencial e desenvolva diferenciais competitivos para se tornar um profissional de destaque no mercado.

100% online, aulas ao vivo e gravadas

Próxima turma: De 14 a 17/Dez, das 19hs às 22hs

Inscreva-se agora
Logo Cyber Monday 2020

Só hoje, nossos melhores Cursos Executivos ou Programas Internacionais com até 50% off

Quero saber mais

A Venezuela continua sua trajetória rumo à destruição completa da civilização. Graças ao caos econômico que o país passa por conta das medidas de Nicolás Maduro e Hugo Chávez, os venezuelanos estão precisando se virar para sustentar suas famílias. Isso fez com que a moeda deles não tivesse valor algum – na verdade, cada bolívar vale sete vezes menos do que uma peça de ouro conseguida no jogo World of Warcraft.

Atualmente, um dólar vale 68.915 bolivares, a moeda da Venezuela. Já a moeda de ouro no World of Warcraft, a moeda virtual do jogo online, pode ser usada para trocar por dólares em um câmbio muito mais atrativo: 203.035 “ouros” por uma recompensa de US$ 20, cerca de 10.152 ouros por cada dólar. A diferença é ainda maior quando usamos o câmbio do mercado negro: nesse cálculo, um dólar vale 697.211 bolívares. Ou seja, a moeda do jogo é quase 70 vezes mais valiosa que a venezuelana.

Por isso, uma das profissões que mais tem ganhado dinheiro por lá é o de jogador de videogame. Sério. Funciona assim: eles jogam o dia todo, a ponto de conseguir boas recompensas e as vendem por bitcoins, efetivamente conseguindo ganhar sua renda em dólares sem ter que ter uma conta em banco no exterior. Isso é extremamente importante para conseguir fugir do desastre que tem sido a moeda venezuelana, o Bolívar – com uma inflação que supera 4.000% (pode atingir 13.000% este ano, de acordo com o FMI).

Um bom jogador, que sabe o que está fazendo, consegue lucrar até US$ 5 por hora – o que é mais do que um professor universitário ganha no país atualmente. Depois, eles usam esses dólares para comprar produtos online em outros países e mandar entregar na própria Venezuela – o que pode significar ter acesso a vários produtos que já não se encontram mais no país, inclusive comida. A tecnologia está ajudando a manter as coisas um pouco melhores na Venezuela.

Por lá, o uso de fintechs e tecnologia muitas vezes significa a diferença entre uma vida confortável ou sofrer com o resto da sociedade. Conseguir uma empresa que realiza transferências internacionais ou lhe permite trabalhar e ganhar no exterior é uma das coisas que podem salvar milhares de venezuelanos. Você pode entender melhor através deste ebook, clique aqui.