“A revolução das Construtechs já começou”, diz CEO da ConstruTech Ventures

Tainá Freitas

Por Tainá Freitas

22 de fevereiro de 2018 às 18:19 - Atualizado há 3 anos

Logo ReStartSe

Inscreva-se para o maior e mais audacioso evento de inovação, tecnologia e transformação digital já feito na América Latina. 30 dias que vão mudar sua visão de mundo, dos seus negócios e da sua carreira.

Online e totalmente gratuito - 01 a 30 de outubro/2020

A Construtech Ventures é o primeiro fundo de investimentos do Brasil focado no setores imobiliários e de construção, buscando resolver os diversos desafios de moradia e infraestrutura do país. Bruno Loreto, CEO da empresa, esteve presente na ConstruTech Conference que aconteceu hoje, reunindo as tecnologias mais inovadores na construção e mercado imobiliário.

“A revolução das construtechs já começou. Ela está no presente, não no futuro – já está acontecendo e vai acontecer em uma proporção ainda maior”, comentou Loreto no evento.

É justamente por acreditar na revolução e inovação do setor de construção e imobiliário que Loreto comanda a ConstruTech Ventures. O fundo de investimentos, além de mapear todo o ecossistema das construtechs do país, investe nas startups, ajudando-as na trajetória para o sucesso.

Ao citar que a revolução no setor de construção já está acontecendo, Bruno Loreto traz exemplos de tecnologia que estão cada vez mais utilizadas no Brasil e no mundo. Drones, pré-fabricação e modularização, fotos e vídeos 360º e realidade virtual e aumentada são exemplos. Segundo pesquisa da JBKnowledge, 34% das construtoras dos Estados Unidos já estão utilizando drones na construção; 19,9% está utilizando pré-fabricação ou modularização nas obras e 19,7% utiliza fotos e vídeos 360º.

O empreendedor ainda citou exemplos de startups e empresas estabelecidas que trazem a tecnologia para mudar a construção. São esses:

Drone Deploy

A Drone Deploy é uma plataforma que conecta operadores de drone a empresas de construção. Sem ao menos ter que sair do escritório, a construtora traz uma demanda de serviço, que é realizado por algum dos operadores presentes na plataforma e é entregue na própria plataforma.

AlugaLogo

A AlugaLogo é uma startup brasileira que conecta donos de equipamentos à engenheiros e profissionais do setor para promover o aluguel de equipamentos para obras e reformas. Engenheiros informam detalhes dos equipamentos necessários e locadores enviam cotações até em uma hora – todo o processo é realizado por meio da plataforma.

OpenDoor

“A OpenDoor faz duas coisas muito bem: ela compra e vende imóveis. Você coloca o endereço da sua casa e em algumas horas ela faz uma proposta e se compromete a pagar o valor em alguns dias”, apresentou o empreendedor. A plataforma é capaz de analisar os dados para saber quanto vale o negócio, por quanto pode vender e em quanto tempo.

Point

A startup dos Estados Unidos traz uma inovação ao modificar um serviço já existente: a concessão de crédito. Ao contrário dos bancos, que pedem todo o imóvel como garantia em um empréstimo, a Point permite hipotecar apenas uma fração do imóvel. É uma nova forma de conceder crédito, tendo um ativo real como garantia.

Havenly

Pela escolha de imagens, tal qual utilizada em mecanismos de verificação de pessoas no Google, a startup determina quais são suas preferências em decoração e te conecta com um especialista da mesma categoria.

Chromaway

A Chromaway utiliza o blockchain para registrar transações imobiliárias. O objetivo final é apenas um: eliminar cartórios.

Katerra

A Katerra industrialia o processo construtivo, fabricando modularizações para as construções em indústrias, montando-as na obra. “A obra nada mais é do que um grande lego, gerando um custo 40% menor em um prazo bem reduzido”, comentou Bruno Loreto.

[php snippet=5]