Brasil demorará 260 anos para atingir a proficiência em leitura dos alunos de países desenvolvidos

Avatar

Por Elena Costa

1 de março de 2018 às 15:03 - Atualizado há 3 anos

Logo ReStartSe

Inscreva-se para o maior e mais audacioso evento de inovação, tecnologia e transformação digital já feito na América Latina. 30 dias que vão mudar sua visão de mundo, dos seus negócios e da sua carreira.

Online e totalmente gratuito - 01 a 30 de outubro/2020

Relatório sobre a crise da aprendizagem produzido pelo Banco Mundial (BM) com dados do Programa Internacional de Avaliação de Alunos (Pisa) mostrou que os estudantes brasileiros demorarão mais de 260 anos para atingir a proficiência em leitura dos alunos de países desenvolvidos.

Coordenada pela Organização para Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE), o Pisa é feito de 3 em 3 anos entre os 35 membros da entidade e também seus 35 parceiros. Ele avalia o conhecimento dos estudantes em ciências, leitura, matemática, entre outros itens.

O relatório apontou que Quênia, Tanzânia e Uganda, 75% das crianças do 3º ano do ensino fundamental não entendem o significado da frase: “o nome do cão é Filhote”. Já na Índia, 75% dos estudantes do mesmo ano não conseguiram realizar uma subtração de dois dígitos.

Perante o resultado, o Banco Mundial apontou 3 recomendações para erradicar a pobreza e fomentar as oportunidades para todos. São elas:

  • Aplicar uma avaliação de aprendizagem. O estudo mostra que só metade dos países em desenvolvimento tem mecanismos para realizar tal medição no final do ensino fundamental e das primeiras séries do médio.
  • Fazer com que todas as escolas trabalhem para os todos os estudantes. Eles propuseram que se ofereça desde nutrição adequada até a utilização da tecnologia que ajudem os professores.
  • Mobilizar a comunidade interessada na aprendizagem.

Além destas informações, o relatório aponta que em matemática, os estudantes brasileiros levarão 75 anos para atingir o nível de proficiência média registradas nos países desenvolvidos. Ele também cita como exemplo de sucesso em estratégias de aprendizagem da Coreia do Sul, país que universalizou o acesso de matrículas em 1995 e atingiu altos índices em rankings de aprendizagem.

Visto os resultados do relatório, sabemos que até 2035, cerca de 2,7 bilhões de pessoas estarão em idade escolar. Para atender essa demanda, seria necessário construir 2 universidades por dia durante 18 anos. Só a tecnologia será capaz de resolver esse problema. Saiba como esta revolução irá ocorrer e as soluções já presentes no EdTech Conference!