Apple registra patente que pode salvar usuários que estão sendo assaltados

Avatar

Por Júlia Miozzo

5 de novembro de 2015 às 16:02 - Atualizado há 5 anos

Logo ReStartSe

Inscreva-se para o maior e mais audacioso evento de inovação, tecnologia e transformação digital já feito na América Latina. 30 dias que vão mudar sua visão de mundo, dos seus negócios e da sua carreira.

Online e totalmente gratuito - 01 a 30 de outubro/2020

SÃO PAULO – Uma nova patente da Apple traz um modo que faz com que o iPhone entrasse no “modo pânico” se for desbloqueado com um dedo específico, bloqueando informações pessoais ou até mesmo resetando a memória do dispositivo. Basicamente, é um sistema que bloqueia o smartphone se um usuário é forçado a desbloqueá-lo com a leitura de impressão digital, o TouchID.

É possível fazer o cadastro de diversas impressões digitais para o TouchID, mas a Apple sugere que seja adicionado um “dedo secreto” que, quando usado para desbloquear o iPhone, faz com que ele entre no modo pânico.

A intenção, segundo a Apple, é que, quando o usuário desbloquear o dispositivo com a impressão digital do dedo secreto, o smartphone vai perceber que o usuário está em perigo e limitar o acesso a dados do celular. Seria útil em situações de assalto, por exemplo.

Além de bloquear o iPhone, o modo também poderia tirar fotos ou vídeos de quem está tentando roubá-lo e enviar para a conta iCloud do usuário. Um alarme e um sinal de perigo enviado a outros iPhones próximos também podem ser recursos do “panic mode”, incluindo aí a possibilidade de enviar a geolocalização para a polícia. 

Embora a patente tenha sido registrada, não existe nenhuma garantia de que a função realmente existirá no próximo iPhone – normalmente a Apple faz tais registros por uma questão de marketing e para impedir que a concorrência faça o mesmo.