Alphaville se conecta com startups para reforçar o negócio e entregar valor

Avatar

Por Isabella Câmara

12 de dezembro de 2017 às 13:19 - Atualizado há 3 anos

Logo ReStartSe

Inscreva-se para o maior e mais audacioso evento de inovação, tecnologia e transformação digital já feito na América Latina. 30 dias que vão mudar sua visão de mundo, dos seus negócios e da sua carreira.

Online e totalmente gratuito - 01 a 30 de outubro/2020

Maximiliano Carlomagno, Sócio fundador da Innoscience, e Patricia Hulle, Gerente de Negócios da Alphaville, contaram um pouco sobre o programa de Corporate Venture da companhia, o Alpha Inova, durante o Corporate Startup Innovation. O programa é uma iniciativa da empresa para selecionar startups capazes de melhorar processos da companhia e, possivelmente, torná-las parceiras ou fornecedoras.

Para Maximiliano, o primeiro passo para comandar projetos de conexão como este é entender qual é o objetivo da empresa com a inovação: reforçar um negócio já existente, renovar a empresa ou até mesmo criar um negócio do zero. A partir desse alinhamento, é possível traçar o melhor tipo de conexão.

No caso da Alphaville, o objetivo era reforçar o negócio já existente a fim de entregar ainda mais valor para o cliente. Após definir o objetivo, a Innoscience começou a selecionar qual o tipo de startup combinava mais com a realidade da empresa. As exigências eram simples: estar no estágio de MVP, ou seja, startups que já possuem um produto mínimo viável desenvolvido e uma solução validada; e estar interessado na evolução da empresa.

Para atrair as startups, a empresa montou uma proposta de valor que oferecia as startups a oportunidade de gerar receita, testar sua solução em situações reais e em uma empresa inovador, ter contato com Diretores, Gerentes e Especialistas que oferecerão feedbacks sobre a aderência da solução no mercado e alcançar uma certa visibilidade no setor.

Entre as 165 startups que o programa atingiu, segundo Patricia Hulle, dez startups passaram para a fase piloto.  Agora, os empreendedores rodarão o piloto em até 60 dias a fim de testar a adequação da solução à realidade da Alphaville, uma das maiores empresas de condomínios horizontais do país.

Pilotos – Programa Alpha Inova

Postmetria Inteligência de Mercado: A Postmetria é uma plataforma criada para monitorar e interpretar conteúdo espontâneo da internet, como posts, reviews, e-mails.

JUSTTO: A solução é um sistema para resolução inteligente de possíveis conflitos.

Looqbox: A Looqbox busca tornar simples a consulta e utilização dos dados das empresas.

Tem Açúcar?: A startup facilita a colaboração entre vizinhos por meio do empréstimo de objetos.

Urbe.Me: O Urbe.Me é o primeiro Equity Crowdfunding Imobiliário do Brasil.

QueroQuitar: A plataforma funciona como uma mesa de negociação online, que localiza e convida o consumidor a negociar e quitar suas dívidas diretamente ao credor.

ZeroDistrato: A ZeroDistrato é uma plataforma de inteligência preditiva que prevê distratos para incorporadoras e urbanizadores.

Conaz: A Conaz é uma plataforma B2B que conecta construtores e fornecedores da contrução civil por meio de um sistema de cotação e compra.

Stant: A plataforma busca facilitar a gestão de informação da obra por meio de um smartphone ou tablet.

Lean Survey: A startup realiza pesquisas ágeis em todos os municípios brasileiros com um custo baixo.

Segundo Maximiliano, nada disso seria possível se a empresa não tivesse adotado um bom método para acelerar a adoção dessas soluções. “Nós ajudávamos os patrocinadores a desenhar o piloto e aprender com seus erros em um curto espaço de tempo e a cada 15 dias nós fazíamos um trabalho de acompanhamento que os ajudava a se conectar com as startups”, conta Carlomagno sobre o método da empresa.

De acordo com Patricia, as inovações na Alphaville pretendem continuar: “Em 2018 planejamos trabalhar com a implementação de todos esses pilotos, abrir o canal para submissão contínuo e acelerar o intraempreendedorismo dentro da empresa”.