Alibaba aposta no varejo físico e investe US$ 2.9 bi em gigante chinesa

Avatar

Por Isabella Câmara

21 de novembro de 2017 às 14:25 - Atualizado há 3 anos

Logo Novo Curso

Transmissão exclusiva: Dia 08 de Março, às 21h

Descubra os elementos secretos que empresas de sucesso estão usando para se libertar do antigo modelo de Gestão Feudal de Negócios.

Inscreva-se agora
Logo Cyber Monday 2020

Só hoje, nossos melhores Cursos Executivos ou Programas Internacionais com até 50% off

Quero saber mais

O Alibaba anunciou ontem que gastou cerca de US$ 2,88 bilhões para adquirir 36,16% do Sun Art Retail Group, uma empresa de Hong Kong que opera 466 hipermercados em 224 cidades da China. O acordo fez com que o Alibaba se tornasse o segundo maior acionista do negócio, que possui um valor de mercado estimado em US$ 10 bilhões.

Apesar de comparada à entrada da Amazon no varejo físico, que adquiriu a Whole Foods por US$ 13,7 bilhões neste ano, a mudança do Alibaba para o off-line começou há anos e a compra do Sun Art Retail Group é apenas uma parte da grande estratégia da empresa.

Em 2014, por exemplo, o Alibaba comprou 35% do operador de lojas de departamento, InTime Retail. Logo depois, em 2015, a empresa adquiriu 20% do gigante do varejo, Suning, por US$ 4,6 bilhões. Além disso, o Alibaba investiu, em maio de 2017, no supermercado Lianhua.

O foco da estratégia do Alibaba é oferecer uma ponte entre o comércio on-line e off-line, tanto para os usuários quanto para os próprios varejistas. Dados obtidos por meio de seus serviços de comércio eletrônico seriam utilizados para melhorar a experiência do consumidor na loja, bem como otimizar o gerenciamento de estoque.

Inscreva-se na maior conferência de tecnologia do varejo do Brasil e fique por dentro das iniciativas mais disruptivas do setor!

Juntos, os três investidores da Sun Art prometem apresentar uma nova experiência de compra para os 1,3 bilhões de consumidores da China. “Ao integrar os canais online e físicos em conjunto com nossos parceiros, nós esperamos entregar uma experiência de compra original e prazerosa aos consumidores chineses”, afirmou o presidente da Alibaba, Danilo Zhang, em comunicado.

(Via TechCrunch)