Alibaba segue tendência da Amazon e investe em lojas físicas

Tainá Freitas

Por Tainá Freitas

8 de dezembro de 2017 às 17:42 - Atualizado há 3 anos

Logo Black Friday 2020

Nossos melhores Cursos Executivos ou Programas Internacionais com até 50% off

Quero saber mais

Vem aí a melhor formação de líderes do Brasil

Logo Liderança Exponencial Aprenda as novas competências fundamentais para desenvolver uma liderança exponencial e desenvolva diferenciais competitivos para se tornar um profissional de destaque no mercado.

100% online, aulas ao vivo e gravadas

Próxima turma: De 14 a 17/Dez, das 19hs às 22hs

Inscreva-se agora

A gigante do e-commerce chinês Alibaba já investiu bilhões de dólares para aumentar sua influência fora da internet. A empresa quer tornar-se mais ativa nas lojas físicas por um motivo: apesar da alta tecnologia do país, 85% das vendas de varejo na China ainda são feitas fora da rede.

No mês passado, a Alibaba investiu US$ 2,9 bilhões em participação na rede de compras Sun Art Retail Group. “Estamos trabalhando para fazer a internet no ar e na terra. Iremos alcançar todos os consumidores de forma perfeita”, disse o CEO Daniel Zhang.

Neste ano, a Amazon fez um movimento semelhante ao realizar um acordo de US$ 13,7 bilhões pela rede de lojas Whole Foods. Mas a Alibaba foi além: nos últimos dois anos, também comprou grandes participações em redes de varejo físico como o Suning Commerce Group, Lianhua Supermarket Holdings Co, e Intime Retail Group Co.

A participação nesses varejistas trazem milhares de novas lojas à carteira da Alibaba, que ainda precisa aprender a integrar o online com o offline. Para essa integração, é necessário compartilhar dados protegendo a privacidade dos consumidores e gerenciamento de pessoas.

Outro problema enfrentado pela gigante do e-commerce é convencer os varejistas das lojas físicas a usar soluções online. Para isso, a Alibaba criou um aplicativo que gerencia estoques de suprimentos. E, além do app, contratou mais de 2 mil pessoas para conversar com donos de lojas.

“Eles nos dão decorações para a frente da loja e nos dão treinamento e outra ajuda”, disse um dono de loja na cidade de Hangzhou. Agora, as lojas “afiliadas” possuem o gato preto mascote do e-commerce Tmall, do Alibaba, na frente das lojas. Os preços possuem tags digitais que mudam de acordo com os preços online.

Para um dono de loja identificado como Lu Qiwei, as novas tecnologias estão diminuindo os custos de renovação de estoque. Para ele, um ponto positivo é que agora os clientes podem pagar mais facilmente suas compras por celular, através da plataforma do Alibaba Alipay.

Com a integração da tecnologia da loja online nas lojas offline, um novo tipo de loja conceito está surgindo. Seja qual for, os benefícios são aproveitados pelos consumidores, que ganham mais facilidade ao realizar pagamentos e até ao pesquisar produtos. Essa ação faz parte da Nova Economia, pois muda nossos costumes e o mundo como conhecemos. Outras alternativas como essa serão abordados no evento 2018, que discutirá a revolução da Nova Economia e suas consequências. Confira.

(Via Venture Beat)

Participe do maior censo de startups do Brasil! Não deixe de entrar no grupo de discussão da StartSe no Facebook e de inscrever-se na nossa newsletter para receber o melhor de nosso conteúdo!

E caso você tenha em patrocinar os eventos da Startse, entre em contato no patrocinio@startse.com.

[php snippet=5]