A Microsoft achou o futuro (e isso envolve uma inteligência artificial nazista)

Avatar

Por Lucas Bicudo

31 de março de 2016 às 14:11 - Atualizado há 4 anos

Logo ReStartSe

GRATUITO, 100% ONLINE E AO VIVO

Inscreva-se para o Maior Programa de Capacitação GRATUITO para empresários, gestores, empreendedores e profissionais que desejam reduzir os impactos da Crise em 2020

Já ouviu falar do bot da Microsoft que foi inundado por mensagens abusivas e se tornou um monstro racista? Bem, se a empreitada com “Tay” não deu muito certo (ela acabou virando nazista depois de interagir com a humanidade no Twitter), o caso definitivamente mostra os esforços da companhia para entrar nesse mundão de inteligência artificial e chatbots.

Afinal, o que vem depois dos smartphones e aplicativos? As respostas podem ser das mais diversas e entusiastas possíveis, mas para a Microsoft, certamente esse é o caminho. Essa semana, o Bloomberg divulgou os planos da empresa para começar a desenvolver mais chatbots e IA capazes de realizarem tarefas cotidianas, como chamar um táxi ou conferir a previsão do tempo.

Exemplo disso é o Amazon Echo, uma torre assistente digital chamada Alexa. A inteligência artificial do aparelho te permite comprar itens online, conferir trânsito, controlar os comandos de sua casa e o volume de músicas.

Ainda segundo a matéria veiculada pelo Bloomberg, trata-se do primeiro grande passo para a realização de todos os sonhos do CEO Satya Nadella, que assumiu a companhia há quase dois anos. Para ele, os chatbots são “um jeito mais natural de as pessoas realizarem suas coisas”, no lugar de delegar cada tarefa em diversos aplicativos diferentes.