Uber quer testar seu novo carro voador feito com a Embraer no Brasil

De acordo com a própria empresa, a expectativa é expandir os testes no Rio de Janeiro e em São Paulo, além de outras sete cidades ao redor do mundo

0
shares

Na última quarta-feira (29), a Uber anunciou que escolheu cinco países para testar seu novo táxi voador e, entre os locais considerados perfeitos para o transporte do futuro, está o Brasil. Além do Brasil, a empresa revelou, durante a conferência do Uber Elevate, que aconteceu em Tóquio, que Austrália, França, Índia e Japão também foram classificados como países potenciais para os testes da tecnologia.

Segundo o CNET, a Uber agora está trabalhando oficialmente com reguladores e planejadores urbanos dos cinco países para criar a estrutura perfeita para a realização dos testes. No Brasil, de acordo com o comunicado, a expectativa é expandir os testes no Rio de Janeiro e em São Paulo, além de outras sete cidades ao redor do mundo, como Sydney e Melbourne, na Austrália; Paris, na França; Mumbai, Deli e Bangalore, na Índia; e Tóquio, no Japão.

A Uber já havia dito que queria tirar os carros do solo até 2020, e planeja disponibilizar o serviço de táxi aéreo sob demanda da UberAir até em 2023 - atualmente, os carros voadores da Uber já estão sendo testados em Dallas e Los Angeles, cidades americanas nas quais os carros voadores já participam de um projeto piloto. Frente a esse cenário, as metas ousadas da empresa já parecem palpáveis, considerando que a empresa tem planos de anunciar sua terceira cidade-teste nos próximos seis meses. 

O melhor tipo de transporte voador

O eVTOL, primeiro carro voador da Uber, em parceria com a Embraer, parece mais um drone futurista - o carro possui quatro pares de hélices para elevação vertical, projetos aerodinâmicos simplificados e baterias elétricas de alta tecnologia. Justamente por possuir essas características, o eCRM-003, como o projeto é conhecido internamente na Uber, não precisa de uma pista longa para a decolagem, basta ligar o motor e acelerar.

A aeronave é capaz de atingir velocidades de cruzeiro entre 240 km/hora a 320 km/hora, percorrendo cerca de 100 km com uma única recarga. Comparado a um helicóptero comum, a Uber garante que o eVTOL faz um voo muito mais silencioso e eficiente, fator que, segundo a empresa, será um diferencial na hora de disseminar o serviço em larga escala nas cidades.

Mas a Uber não está sozinha nessa corrida - a Rolls-Royce, a Boeing e a Kitty Hawk, empresa financiada pelo fundador do Google, Larry Page, estão trabalhando em projetos para transportar pessoas em táxis aéreos sob demanda no futuro, aeronaves dotadas de alta tecnologia e, quem sabe, autônomas.

Atualize-se em apenas 5 minutos


Receba diariamente nossas análises e sinta-se preparado para tomar as melhores decisões no seu dia a dia gratuitamente.

Comentários