10 coisas do cotidiano que vão desaparecer nos próximos 5 anos

Da Redação

Por Da Redação

9 de novembro de 2017 às 11:50 - Atualizado há 3 anos

Logo ReStartSe

Inscreva-se para o maior e mais audacioso evento de inovação, tecnologia e transformação digital já feito na América Latina. 30 dias que vão mudar sua visão de mundo, dos seus negócios e da sua carreira.

Online e totalmente gratuito - 01 a 30 de outubro/2020

Startups estão realizando grandes mudanças na economia mundial, e podem acabar com algumas das coisas do cotidiano até 2022 – precisamos de apenas cinco anos para vermos mudanças bastante significativas no dia-a-dia.

Essa é a força transformadora da Nova Economia: há uma revolução em curso que está transformando todos os segmentos. Estamos querendo preparar as pessoas para essa novidade com o curso Nova Economia, ministrado por Maurício Benvenutti – autor do bestseller Incansáveis. Dê uma olhada e adquira o curso até sexta-feira (10).

Confira o que deve perder força até 2022: 

1) Sistema de táxi atual
O Uber está fazendo uma grande revolução na forma que o transporte particular é contratado nas grandes cidades há alguns anos – é um dos poucos pontos da vida cotidiana que não se parece nem um pouco com o que era alguns anos atrás. As pessoas usam carros particulares com muito mais frequência.

E a tendência é que os táxis estejam cada vez mais integrados ao seu celular. Com carros autônomos, isso vai virar ainda mais tendência: você só vai chamar o carro, ele vai vir e pronto.

2) Correios
Quem manda carta hoje em dia? Ninguém. Os Correios servirão apenas como empresa para gerenciar o envio de mercadorias compradas pela internet. E com a automação deste tipo de serviço, é provável que nem isso vá sobrar.

3) Papel
Ele não vai desaparecer até 2020, mas deve perder bastante força. Muito do que é impresso hoje em dia vai ser cada vez mais digitalizado: basta você olhar o que está acontecendo com os jornais, eles estão morrendo e dando cada vez mais importância para seus portais na internet. A notícia é uma coisa que deixou de vir por papel.

4) Telefones residenciais
Já há bastante gente que vive apenas com seus celulares – que já ultrapassaram o número de linhas convencionais há bastante tempo. Os mais jovens não tem mais telefone fixo em casa e, pode reparar, quando você vai cadastrar em alguma coisa, hoje em dia pede-se o celular, sendo o fixo apenas um “plus”.

5) Planos de voz para celulares
Embora ainda pensemos nos celulares como celulares, a verdade é que eles estão cada vez mais funcionando apenas como computadores portáteis. Nos próximos anos, deveremos ver o término dos planos de voz, passando tudo para planos de dados.

6) Cartão de crédito
A tecnologia de NFC (Near Field Communication) deverá fazer com que iniciativas como o Apple Paysejam cada vez mais usuais e aceitas. Isso acabará com o cartão de crédito de plástico que você carrega na carteira.

7) Cinemas
Por mais que tenhamos tido safras boas nos últimos anos, as vendas de tíquetes estão caindo no mundo, mostra o estudo. Culpe a Netflix e as televisões com HDTV cada vez mais baratas, que fizeram com que as pessoas passassem a assistir cada vez mais em casa. Nos últimos anos, grandes produções de Netflix e Amazon já rivalizaram com o cinema e TV tradicional em termos de tamanho, gastos e popularidade.

8) Mídia de armazenamento
A nuvem está matando: CDs, DVDs, Blu-Rays, HDDs, Pen-drives e Memory Cards. Formas físicas de armazenar memória estão ficando irrelevantes e a computação está cada vez migrando mais para um estilo “por nuvem”.

9) TV a cabo
Mais uma mudança neste sentido: diga adeus aos planos de TV a cabo caríssimos e abrace o streaming via internet, em qualidade cada vez melhor. Em breve você vai cancelar a NET para manter apenas o Netflix.

10) Trabalhadores de fast food
A começar pelos fast foods, máquinas deverão substituir os trabalhadores humanos – nos caixas e nas montagens dos sanduíches, por exemplo. Essa é uma tendência que deverá atingir milhares de outras profissões no futuro.