SpaceX lança novos satélites para oferecer internet no mundo inteiro

Tainá Freitas

Por Tainá Freitas

7 de janeiro de 2020 às 18:42 - Atualizado há 5 meses

Logo ReStartSe

GRATUITO, 100% ONLINE E AO VIVO

Inscreva-se para o Maior Programa de Capacitação GRATUITO para empresários, gestores, empreendedores e profissionais que desejam reduzir os impactos da Crise em 2020

Desde a noite desta segunda-feira (6), há mais 60 satélites da SpaceX no espaço. A empresa comandada por Elon Musk realizou com sucesso o lançamento dos dispositivos. O objetivo é de começar a disponibilizar internet via satélite, alcançando lugares remotos – e trazer uma nova fonte de receita para a companhia. O projeto é denominado Starlink.

Edtech 2020: saiba como as novas tecnologias estão transformando a gestão do ensino e os modelos de educação

O lançamento foi realizado em Cabo Canaveral, na Flórida, nos Estados Unidos. Inicialmente, os satélites vão orbitar 290 km acima da Terra, mas, quando for confirmado que eles estão funcionando de forma correta, a distância irá aumentar para 550 km. Os satélites possuem propulsores para impulsioná-los para cima.

Esse é o terceiro lançamento de 60 satélites realizado pela SpaceX, totalizando 180 dispositivos em órbita. Em outubro de 2019, Elon Musk fez uma postagem em uma rede social testando a internet disponibilizada pela constelação Starlink – e foi bem-sucedido. A expectativa é que a rede seja disponibilizada nos Estados Unidos e Canadá a partir deste ano.

Desde o primeiro lançamento dos satélites, astrônomos afirmam que os satélites refletem a luz solar e estão prejudicando na visualização dos astros. Por isso, neste lançamento, um dos satélites foi pintado com tinta escura para diminuir o reflexo. Caso a experiência seja bem-sucedida, a empresa irá adotar a iniciativa para os próximos. A SpaceX também afirma que a visibilidade dos satélites irá diminuir à medida que eles se distanciam na órbita.

Além da SpaceX, a Amazon, Blue Origin (empresa espacial de Jeff Bezos), Telesat e OneWeb testam lançar suas próprias constelações de satélites com o mesmo fim: promover internet no mundo inteiro.