SpaceX, empresa espacial de Elon Musk, demite 10% de seus funcionários

Tainá Freitas

Por Tainá Freitas

14 de janeiro de 2019 às 17:00 - Atualizado há 2 anos

Logo ReStartSe

GRATUITO, 100% ONLINE E AO VIVO

Inscreva-se para o Maior Programa de Capacitação GRATUITO para empresários, gestores, empreendedores e profissionais que desejam reduzir os impactos da Crise em 2020

Um e-mail enviado por Gwynne Shotwell, chefe de operações da SpaceX, trouxe más notícias. Ela informou que a empresa está demitindo 10% de seus seis mil funcionários, segundo o Los Angeles Times.

A presidente justificou as demissões afirmando que a empresa precisa ficar “mais enxuta”. “Essa foi uma decisão difícil, mas necessária”, escreveu, segundo o LAT.

A SpaceX – que tem Elon Musk como presidente-executivo – está investindo no desenvolvimento de espaçonaves interplanetárias e na criação de uma internet global que vem do espaço. Para Shotwell, tentar qualquer uma dessas iniciativas, mesmo que de forma separada, já levou algumas empresas à falência.

“Isso significa que devemos nos separar de alguns membros talentosos e trabalhadores de nossa equipe”, escreveu a presidente de operações. Os funcionários demitidos continuarão recebendo seus pagamentos semanais pelo mínimo de oito semanas, informou Shotwell.

Além disso, a empresa também afirmou que irá auxiliar com coaching de carreira, na procura por empregos e ajuda no currículo.

O financiamento de operações

O segmento espacial, da qual a SpaceX faz parte, requer grandes investimentos. Por esse motivo, uma das missões de Elon Musk através da empresa é de tornar voos espaciais mais acessíveis. O empreendedor procura realizar o feito reutilizando peças.

Em 2018, a SpaceX realizou 21 lançamentos de satélites. Já em 2017, esse número foi 18. Já neste ano, a empresa realizou um lançamento.

No ano passado, a empresa havia expressado o desejo de levantar US$ 500 milhões em empréstimos. A expectativa é que a SpaceX realize um teste da aeronave que pretende levar à Marte neste ano.

E os planos ambiciosos para o futuro não param por aí. Ainda em 2018, a SpaceX divulgou o nome do seu primeiro turista lunar – isto é, a primeira pessoa comum a viajar para a órbita da Lua. O custo do empreendimento está previsto de US$ 2 bilhões à US$ 10 bilhões.