Softbank negociou com Nubank antes de investimento no Banco Inter

Tainá Freitas

Por Tainá Freitas

31 de julho de 2019 às 13:21 - Atualizado há 10 meses

Logo ReStartSe

GRATUITO, 100% ONLINE E AO VIVO

Inscreva-se para o Maior Programa de Capacitação GRATUITO para empresários, gestores, empreendedores e profissionais que desejam reduzir os impactos da Crise em 2020

Os rumores de que o Softbank poderia investir no Nubank não estavam errados – mesmo que o aporte não tenha sido efetivado. De acordo com o Estadão, o Softbank estudou investir no Nubank, mas não conseguiu entrar em um acordo com a fintech.

A segunda opção do Softbank foi investir no Banco Inter, no qual apostou R$ 1 bilhão. O aporte foi realizado a partir da compra de ações ordinárias e preferenciais. Com o investimento, o Softbank passa a deter 10% do capital do banco.

Em contrapartida, o Nubank recebeu um investimento de US$ 400 milhões do TCV, fundo de capital de risco do Vale do Silício. O aporte elevou o valor de mercado da fintech para US$ 10 bilhões.

De acordo com o veículo, o Nubank discordou do Softbank quanto ao valor investido pelo fundo de investimentos e o valor de mercado que seria atribuído.

De olho nas startups brasileiras

O interesse do fundo de investimentos japonês por startups brasileiras é crescente. O Softbank já investiu na Creditas, Gympass e Loggi e recentemente anunciou o Latin America Fund, focado em startups da América Latina.

Felipe Fujiwara, porta-voz do Softbank, participou de um evento da StartSe em que revelou o método de investimentos em startups da América Latina. O foco é em empresas de maior nível de maturidade, seguindo em equilíbrio com a estratégia adotada nos investimentos realizados até agora.