Apple suspende escuta de gravações da Siri após polêmica global

João Ortega

Por João Ortega

2 de agosto de 2019 às 13:01 - Atualizado há 1 ano

Vem aí a melhor formação de líderes do Brasil

Logo Liderança Exponencial Aprenda as novas competências fundamentais para desenvolver uma liderança exponencial e desenvolva diferenciais competitivos para se tornar um profissional de destaque no mercado.

100% online, aulas ao vivo e gravadas

Próxima turma: De 22 a 25/Fev - 2021, das 19hs às 22hs

Inscreva-se agora
Logo Cyber Monday 2020

Só hoje, nossos melhores Cursos Executivos ou Programas Internacionais com até 50% off

Quero saber mais

Na semana passada, foi revelado na imprensa que funcionários da Apple escutam gravações de usuários feitas pela Siri. O tema causou polêmica globalmente, inclusive porque muitas das gravações foram realizadas sem que o dispositivo fosse acionado intencionalmente. Nesta quinta-feira (1), a empresa anunciou a suspensão deste programa de aperfeiçoamento da assistente virtual no mundo inteiro.

O processo de melhoria da Siri será revisado, segundo o portal TechCrunch. Uma atualização está prevista para que as pessoas possam escolher se suas gravações poderão ou não ser ouvidas pela Apple. “Estamos comprometidos em entregar uma ótima experiência com a Siri e, ao mesmo tempo, proteger a privacidade do usuário”, afirmou um porta-voz da empresa.

De acordo a reportagem do TechCrunch, os termos de serviço da Siri não são claros em relação ao destino das gravações dos usuários. Apesar de se posicionar repetidamente como a empresa de tecnologia que mais respeita a privacidade dos usuários, o sistema de aperfeiçoamento da Siri é feito da mesma forma que o Google e a Amazon, com funcionários escutando os áudios e tendo acesso a diversos dados da pessoa gravada.

Google Assistant

Assim como aconteceu com a Apple, um funcionário do Google também falou em anonimato à imprensa sobre o programa de aperfeiçoamento do Google Assistant, inclusive com vazamento de áudios de usuários da Holanda. Agora, a empresa pode ser processada na Alemanha por quebra da Lei Geral de Proteção de Dados.

O Google afirma que, desde o dia 26 de julho, não faz mais escuta de gravações do assistente virtual na Europa, onde a regulação acerca da privacidade é mais rígida. Autoridades alemãs afirmam ter dúvidas significativas de que o Google Assistant em geral está em acordo com as leis de proteção de dados europeias.